Escola suíça de Economia abre polo em Belmonte

A Swiss School of Economics aguarda acreditação do Governo Português mas espera começar a funcionar até final do ano com 20 alunos.

Uma escola de pós-graduações nas áreas de Economia, Gestão e Finanças é a nova aposta do município de Belmonte. O protocolo foi assinado no passado dia 14 entre a autarquia e a Swiss School of Economics, que deverá ter um polo a funcionar a partir de outubro.

A oferta formativa destina-se a alunos portugueses e também a estrangeiros, estando em cima da mesa a possibilidade de protocolos com escolas da região. Este é, pelo menos, um desejo do presidente da Câmara, António Dias Rocha, que não tem dúvidas que «o projeto tem todas as condições para avançar» e que será «uma verdadeira revolução para Belmonte e para a região». A reitoria deste polo fica a cargo de Dominique Jordan, segundo o qual «não queremos ser apenas mais uma universidade privada, mas uma das melhores universidades na Suíça e em Portugal». Os promotores esperam começar a funcionar até final do ano com cerca de 20 a 30 alunos e atingir os 60 daqui a dois anos. Apesar do desejo para que o estabelecimento de ensino comece a laborar o mais rapidamente possível, os responsáveis suíços ainda aguardam acreditação por parte do Governo português.

O facto de Belmonte ser «uma “ponte” entre Portugal e o Brasil» colocou a vila no mapa da Swiss School of Economics, que quer atrair «alunos do mundo inteiro», bem como professores «cem por cento qualificados em termos académicos». Dominique Jordan acredita que a instalação da escola «vai trazer uma mudança» a Belmonte, tanto mais que quem escolher a vila para estudar irá ficar por lá cerca de cinco anos. Por outro lado, os estudantes serão desafiados, como projeto final, a criar uma empresa, o que poderá trazer investimentos para Belmonte, acredita aquele responsável. De resto, a Swiss School of Economics garante aos alunos um estágio empresarial e ainda a oportunidade de estudarem durante seis meses na Suíça. Numa fase inicial, o polo da escola de Economia vai funcionar no espaço da antiga Câmara Municipal, no Largo do Pelourinho, e no edifício dos antigos correios, mas posteriormente serão adquiridos imóveis na zona histórica.



Conteúdo Recomendado