Deputado do PS quer análise profunda às escolas da Guarda com contrato de associação

O deputado socialista Santinho Pacheco, eleito pelo círculo eleitoral da Guarda, anunciou hoje que pediu ao Governo “uma análise mais profunda” da realidade que está associada às quatro escolas do distrito com contratos de associação.

No distrito da Guarda existem quatro estabelecimentos de ensino com contratos de associação: Escola Regional Dr. José Dinis da Fonseca/Outeiro de São Miguel (Guarda), Escola Regional da Cerdeira do Côa e Colégio Externato do Soito (Sabugal) e Escola Evaristo Nogueira de São Romão (Seia).

Em missiva enviada à secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, o socialista considera que as quatro escolas deviam merecer “uma análise mais profunda da realidade que servem”.

“A Escola do Outeiro de S. Miguel – Escola Regional Dr. Dinis da Fonseca – sediada na periferia da Guarda, é o único estabelecimento de ensino do concelho da Guarda com contrato de associação e vai perder essa condição para novas turmas”, refere Santinho Pacheco.

Acrescenta tratar-se de uma escola “com especificidades próprias que merecem uma análise cuidada”, apontando que “por alguma razão foi condecorada no 10 de junho de 2015 pelo senhor Presidente da República”.

“Tem características diferentes de outras escolas, tem internato e suporta uma vastíssima obra social. Gerações de guardenses de todo o distrito devem-lhe uma preparação intelectual, moral e cívica para a vida. (…) O seu processo merece uma profunda reanálise”, defende.

Sobre a Escola Regional da Cerdeira, que tem um internato feminino, diz que “só sobrevive se receber jovens um pouco de toda a região”, pois “não é uma freguesia com 229 habitantes que pode justificar aquela escola há tantas décadas ou vai ter alunos suficientes para a abertura de novas turmas”.

“O mesmo se passa com o Soito, uma freguesia com cerca de 1.200 habitantes maioritariamente idosos. Se a área de influência do Colégio do Soito não abranger as freguesias envolventes e mais distantes do Sabugal – Alfaiates, Aldeia da Ponte, Aldeia Velha, Nave e Quadrazais – só por si o Soito não tem população em idade escolar que justifique o Colégio”, indica.

Quanto à Escola Evaristo Nogueira de São Romão, o deputado do PS esclarece que “é tão só uma instituição que qualifica a terra em que está sediada, uma âncora do seu desenvolvimento e um símbolo da sua vitalidade”.

“O fim da Escola Evaristo Nogueira não acrescenta nada a Seia, mas tira juventude e vida a São Romão e todos nós sabemos que, no interior, é assim que se acelera o declínio socioeconómico do território”, conclui.

Santinho Pacheco lembra no documento que os deputados do PS eleitos pelo círculo eleitoral da Guarda adotaram como lema para esta legislatura: “A Guarda não pode perder nem mais um serviço, nem mais um único posto de trabalho”.



Conteúdo Recomendado