Covid-19: Registadas 27 detenções por desobediência desde domingo

O governante sublinhou que o “risco de contágio pela covid-19 é igual em todas as áreas do país”.

O ministro da Administração Interna anunciou hoje que entre as 00:00 de domingo e as 20:00 de ontem foram registadas 27 detenções por “violação das regras” do estado de emergência decretado devido à pandemia da doença covid-19.

“Até às 20:00 de ontem registaram-se 27 detenções por violação das regras definidas ou para o isolamento pessoal ou pelo não acatamento reiterado de recomendação feitas pelas forças de segurança”, afirmou Eduardo Cabrita.

O governante falava aos jornalistas durante uma conferência de imprensa no final da segunda reunião da Estrutura de Monitorização do estado de emergência onde acrescentou que também foram encerrados 274 estabelecimentos comerciais “por estarem a violar a obrigação de suspensão atividade”.

O ministro da Administração Interna realçou que as forças de segurança verificaram a prática de um conjunto de comportamentos que são “absolutamente inaceitáveis”.

“A realização de atividades físicas, de caminhadas, que são incentivadas, devem ser feitas na área de residência. Isto é, não se justifica, de modo algum, a deslocação em viatura automóvel para áreas de prática de passeio, sobretudo quando tal decorrer em áreas em que facilmente se verifica a concentração de um número elevado de pessoas”, advertiu Eduardo Cabrita.

O governante sublinhou que o “risco de contágio pela covid-19 é igual em todas as áreas do país”, e, por isso, o perigo de “ter um ajuntamento à porta de um estabelecimento de uma grande cidade ou em torno de um pequeno café de aldeia é exatamente o mesmo”.

Eduardo Cabrita reforçou também que “as regras sobre encerramento de atividade e sobre limitação da atividade (de restauração) ao fornecimento de comida para fora, take-away ou ao domicílio, é absoluta”.

O ministro destacou, no entanto, que houve uma “significativa tranquilidade quanto ao respeito por regras de isolamento e de distanciamento social”, que são fundamentais para “prevenir o alastramento” da Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2).

O responsável pela pasta da Administração Interna salientou ainda que o controlo fronteiriço que está a ser feito pelas autoridades portuguesas e espanholas foi destacado pela União Europeia “como exemplo de uma reposição de controlo de fronteiras que tem permitido uma grande fluidez no funcionamento dos circuitos económicos que assentam no transporte de mercadorias”.

O ministro referiu ainda que a Estrutura de Monitorização do estado de emergência vai voltar a reunir-se presencialmente durante a tarde de sexta-feira.

A covid-19 já provocou 33 mortos em Portugal e estão registados 2.362 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00 horas de 19 de março e até às 23h59 de 02 de abril.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 400 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 18.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.




Conteúdo Recomendado