Covid-19: Município de Seia avança com medidas de apoio social

O município de Seia, no distrito da Guarda, criou equipas multidisciplinares para “ampliar o apoio social à população”, com o objetivo de diminuir o contágio por Covid-19, foi hoje anunciado.

Segundo a autarquia presidida por Carlos Filipe Camelo, “o plano de ação visa a entrega ao domicílio de bens de primeira necessidade e medicação e a execução de pequenas reparações às pessoas mais vulneráveis, por doença crónica, com mais 65 anos de idade ou condição social, e que não disponham de retaguarda familiar”.

“O apoio pode ser requerido para o número de telefone 238 310 235/7, sendo posteriormente validado pelo serviço de Ação Social e Saúde da autarquia, que procederá à entrega dos bens solicitados”, sublinha o município de Seia numa nota enviada à agência Lusa.

De acordo com a fonte, o serviço funcionará nos dias úteis, entre as 09:00 e as 17h00, e pretende “favorecer a permanência das pessoas em casa, de acordo com as recomendações das autoridades de saúde, minimizando os riscos de contágio e propagação da Covid-19”.

O município de Seia também criou um grupo de trabalho para acompanhar em permanência a evolução da situação, em estreita articulação com as autoridades de Saúde, Proteção Civil, GNR, Juntas de Freguesia e outros parceiros sociais.

“A Câmara Municipal continuará fortemente determinada em assegurar a prestação dos serviços públicos essenciais à comunidade, encontrando-se devidamente capacitada para responder às solicitações que se vierem a verificar”, lê-se.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 235 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 9.800 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro de 2019, o surto espalhou-se já por 179 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou na quinta-feira o número de casos confirmados de infeção para 785, mais 143 do que na quarta-feira.

O número de mortos no país subiu para quatro, com anúncio da morte de uma octogenária em Ovar, feito pelo presidente da Câmara local, horas depois de a DGS ter confirmado a existência de três vítimas mortais até às 24h00 de quarta-feira em Portugal.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira, depois de a Assembleia da República ter aprovado na quarta-feira o decreto que lhe foi submetido pelo Presidente da República, com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.

O estado de emergência proposto pelo Presidente prolonga-se até às 23h59 de 02 de abril.




Conteúdo Recomendado