Covid-19: Município de Mêda incentiva almoço de Páscoa com borrego local

A Câmara de Mêda está a incentivar a encomenda do almoço do dia de Páscoa à base de borrego, fornecido pelos restaurantes locais, para ajudar os produtores e os empresários do setor da restauração, foi anunciado esta terça-feira.

Segundo o autarca de Mêda, Anselmo Sousa, a iniciativa “Almoço da Páscoa com Borrego Mondegueiro”, servido por sete restaurantes do concelho em regime de ‘take-away’, surgiu para mitigar os efeitos da pandemia da covid-19 na economia local.

O presidente da Câmara Municipal disse à agência Lusa tratar-se de “mais uma medida” autárquica de apoio à restauração e também aos produtores pecuários locais que detêm a raça autóctone de ovelha Churra Mondegueira.

“Sabemos que nesta altura da Páscoa os borregos tinham bastante saída e nesta situação [de pandemia], em que os restaurantes estão fechados, eles [os produtores] também não conseguem esgotar os animais”, disse.

Para ajudar nas vendas dos borregos produzidos no concelho, o município contactou os restaurantes para que aderissem à iniciativa e confecionassem o almoço de Páscoa “em que o prato principal seria o borrego da Churra Mondegueira” acompanhado por vinhos da região e outros produtos locais.

“Aderiram sete restaurantes a esta iniciativa. O município dá 10 euros por cada dose que o restaurante vender, até ao limite de 50 doses. Ou seja, o município vai patrocinar 50 doses a cada restaurante, em 10 euros. Se o prato custar 20 euros, o munícipe que for comprar só paga 10 e a Câmara subsidia com outros 10 euros”, explicou.

A autarquia subsidia 50 doses em cada restaurante, mas os estabelecimentos “se quiserem, podem vender mais”, disse.

Com esta medida, a autarquia também está a apoiar os munícipes na aquisição do almoço do dia de Páscoa no restaurante, pois segundo Anselmo Sousa, podem consumir “um prato de qualidade, muito mais barato”.

A iniciativa está a ter “uma adesão muito grande” por parte da população do concelho de Mêda, no distrito da Guarda.

Os clientes têm de fazer as encomendas junto dos restaurantes até ao dia 01 de abril, mas há casos em que os pedidos já esgotaram as 50 doses disponíveis.

O responsável adiantou à Lusa que, na segunda-feira, dois dos sete dos restaurantes já tinham as encomendas esgotadas e outros encontravam-se “muito perto disso”, o que está a superar as expectativas iniciais.

O presidente da autarquia de Mêda tem recebido comentários positivos por parte dos munícipes que manifestam “a sua satisfação por esta iniciativa” que será para continuar.



Conteúdo Recomendado