Covid-19: Município de Mêda apoia associações sociais e bombeiros com 60 mil euros

O município de Mêda, no distrito da Guarda, atribuiu um apoio financeiro extraordinário no valor de 60 mil euros a dez instituições sociais e à corporação de bombeiros voluntários do concelho, foi hoje anunciado.

A autarquia presidida por Anselmo Sousa refere em comunicado publicado na página oficial do Facebook que “implementou um programa de apoio financeiro a diversas instituições de solidariedade do concelho, de forma a mitigar as diversas dificuldades causadas pela pandemia da doença covid-19”.

O município de Mêda assinou protocolos com o Centro Social e Paroquial do Aveloso, a Associação de Melhoramentos Desenvolvimento Cultural e Social da Barreira, o Centro Social de Apoio a Idosos e Jovens da Coriscada, o Clube Desportivo Recreativo de Solidariedade Social de Marialva, o Instituto Dona Maria do Carmo Lacerda Faria, a Santa Casa da Misericórdia de Mêda, a Associação de Beneficência e Cultura de Outeiro de Gatos, o Centro Social e Paroquial da Prova, o Centro Social e Paroquial Solar do Morgado do Rabaçal, a Associação Social de Cultura e Recreio de Ranhados e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mêda.

Segundo o município, o apoio extraordinário representa um investimento total de 60 mil euros e servirá para auxiliar as entidades abrangidas “a promoverem um trabalho em prol da saúde e bem-estar dos cidadãos”.

O comunicado refere que o presidente da autarquia, Anselmo Sousa, aproveitou o momento “para agradecer todo o esforço e dedicação demonstrados” pelas instituições e pelos seus colaboradores no atual período que o país atravessa devido à pandemia.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 387 mil mortos e infetou mais de 6,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Em Portugal, morreram 1.465 pessoas das 33.969 confirmadas como infetadas, e há 20.526 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, que sexta-feira foi prolongado até 14 de junho, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.




Conteúdo Recomendado