Covid-19: Município de Gouveia reabre feira semanal de forma condicionada

A reabertura condicionada acontece no dia 14, para permitir que os produtores locais possam escoar e disponibilizar bens alimentares à população.

O município de Gouveia determinou a reabertura condicionada da feira semanal, no dia 14, para permitir que os produtores locais possam escoar e disponibilizar bens alimentares à população, foi hoje anunciado.

A autarquia de Gouveia, presidida por Luís Tadeu, refere em comunicado que a feira semanal irá “reabrir a sua atividade e disponibilizar os habituais produtos e serviços”, após ter estado com a atividade suspensa devido à pandemia causada pela covid-19.

“Com o levantamento gradual das medidas de confinamento, a feira semanal, que se realiza habitualmente à quinta-feira, no recinto da feira, irá voltar ao seu funcionamento a partir da manhã do dia 14 de maio”, lê-se.

Segundo a nota, com a reabertura do recinto, “os produtores locais poderão escoar e disponibilizar os seus bens alimentares e restantes produtos à quinta-feira de manhã, reforçando a oferta de produtos locais e garantindo, assim, o abastecimento da população”.

“A reabertura deste espaço de comércio está condicionada ao cumprimento de todas as normas e recomendações veiculadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), tendo os comerciantes que obedecer a um conjunto de normas de funcionamento específicas, que visam garantir as condições de segurança e higiene no exercício da sua atividade”, explica a fonte.

O município de Gouveia, no distrito da Guarda, refere ainda que, em conformidade com as diretrizes da DGS, “será obrigatório, quer para os clientes, quer para os vendedores, o uso de máscara, a higienização das mãos e a manutenção do distanciamento físico, medidas de contingência que devem ser respeitadas e cumpridas”.

A medida determinada pela autarquia visa “disponibilizar um conjunto de bens fundamentais para o dia-a-dia de todos os munícipes, assim como permitir a continuidade da atividade profissional dos diferentes vendedores”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 257 mil mortos e infetou quase 3,7 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Portugal contabiliza 1.089 mortos associados à covid-19 em 26.182 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado hoje.

Portugal entrou no domingo em situação de calamidade, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.



Conteúdo Recomendado