Covid-19: Figueira de Castelo Rodrigo produz viseiras de proteção

O município de Figueira de Castelo Rodrigo, em colaboração com a Plataforma de Ciência Aberta, está a produzir viseiras de proteção para profissionais de saúde, para combate à pandemia da covid-19, foi hoje anunciado.

A autarquia de Figueira de Castelo Rodrigo, no distrito da Guarde, refere em comunicado hoje enviado que as viseiras que estão a ser concebidas localmente, em colaboração com a Plataforma de Ciência Aberta (um projeto que foi criado em cooperação com a Universidade de Leiden, na Holanda), serão “posteriormente entregues aos profissionais de saúde do território”, priorizando-se os lares de idosos “na próxima entrega”.

O município também procedeu à aquisição de 250 viseiras de proteção para disponibilizar “às instituições em serviço de emergência”, adianta.

Devido à pandemia da covid-19, a mesma autarquia lembra na nota que declarou o estado de alerta municipal e aplicou várias medidas de apoio à população.

Criou um linha telefónica para apoio psicológico e um banco de voluntariado, pediu às Juntas de Freguesia para sinalizarem munícipes como sendo de risco ou com incapacidade e disponibilizou-se para fazer a recolha de encomendas e entregas de bens de primeira necessidade.

A Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo deliberou ainda prorrogar os prazos de pagamento da água por tempo indeterminado, “com garantia de não corte e sem penalizações adicionais”, e garantir o pagamento “a todos os fornecedores do município, como forma de apoio à manutenção dos seus postos de trabalho”.

Entre outras medidas, a autarquia presidida por Paulo Langrouva também criou uma equipa de técnicos municipais “que compila toda a legislação de apoios governamentais, para posterior apoio aos empresários locais na submissão de candidaturas”.

“O município de Figueira de Castelo Rodrigo tem sido, neste difícil período para todos, uma entidade ativa e empenhada, procurando sistematicamente soluções, não só no campo da ajuda e prevenção da pandemia, mas, também, a pensar no bem-estar e saúde de todos os seus munícipes, aconselhando ao cumprimento das recomendações da Direção-Geral da Saúde”, remata a nota.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 187 mortes, mais 27 do que na véspera (+16,9%), e 8.251 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 808 em relação a terça-feira (+10,9%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23h59 de 02 de abril.




Conteúdo Recomendado