Covid-19: Biblioteca Municipal de Celorico da Beira com serviço de ‘take away’

A Biblioteca Municipal de Celorico da Beira, no distrito da Guarda, disponibiliza livros em regime de ‘take away”, para que os utilizadores continuem a ter acesso à leitura durante o confinamento devido à covid-19, foi hoje anunciado.

Segundo a Câmara Municipal de Celorico da Beira, o serviço de ‘take away’, para empréstimo domiciliário de livros e publicações, tem o intuito de “mitigar os efeitos da pandemia”.

“Em estrito cumprimento das diretivas emanadas pelo Governo que obrigam ao encerramento dos espaços públicos, a Biblioteca Municipal de Celorico da Beira procura dar resposta às necessidades dos seus utilizadores, combater a solidão, fomentar a leitura e continuar a prestar um serviço público em tempo de crise sanitária, com a promoção de um serviço de empréstimo domiciliário por marcação prévia (‘take away’)”, refere a autarquia em comunicado.

Para beneficiar do serviço, o utilizador deve consultar o catálogo da biblioteca ou da Rede Intermunicipal de Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela (RIBBSE), fazer a sua escolha, telefonar para a biblioteca, enviar um ‘email’ ou usar o Messenger do Facebook da Biblioteca Municipal e fazer a reserva dos livros pretendidos.

Após o pedido, posteriormente, no dia e hora definidos, procede ao seu levantamento nas instalações da biblioteca.

“Às terças e quintas-feiras, os utilizadores podem, mediante marcação prévia, levantar livros e outras publicações na Biblioteca Municipal, cumprindo escrupulosamente todas as regras da Direção-Geral da Saúde”, sublinha o município de Celorico da Beira.

Segundo a fonte, os livros ou materiais disponibilizados estarão devidamente higienizados e acondicionados.

Os empréstimos “poderão ir até um limite máximo de três livros/publicações, por um prazo alargado de um mês”, remata.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.191.865 mortos resultantes de mais de 101 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 11.886 pessoas dos 698.583 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



Conteúdo Recomendado