Cem quilos de castanhas para o “Magusto da Velha”

Hoje, foi dia do “Magusto da Velha”, em Aldeia Viçosa (Guarda, onde foram lançadas 100 quilos de castanhas, centenas de rebuçados e se provou o vinho em memória de uma benemérita.

A tradição remonta ao século XVII e teve origem na herança deixada por uma mulher abastada, de nome desconhecido, e que foi hoje recordada pela população da localidade numa missa e com o lançamento de castanhas da torre da igreja para o adro onde, quando estas se apanham do chão, os mais jovens aproveitam para saltar para as costas de quem se baixa para as agarrar nas já tradicionais “cavaladas”.

Este ano, a Junta de Freguesia propõe ainda uma degustação do vinho da Quinta do Ministro, uma prova de azeite de Aldeia Viçosa com torradas e ainda animação musical com Ângelo Brás, barraquinhas de artesanato tradicional e a abertura ao público do lagar tradicional de azeite (futura Casa do Azeite).

O “Magusto da Velha” tem origem numa herança feita, em 1698, aos habitantes de Aldeia Viçosa por uma mulher abastada cuja identificação ainda não foi apurada. Segundo a tradição, a “velha”, como passou a ser tratada popularmente, quis que os residentes comessem castanhas e bebessem vinho uma vez por ano e, em troca, rezassem um pai-nosso pela sua alma.

A herança que está na origem da tradição de Aldeia Viçosa é mencionada no “Livro de Usos e Costumes da Igreja do Lugar de Porco – Ano de 1698” e, ainda hoje, a Junta de Freguesia recebe anualmente uma renda perpétua de 48 cêntimos de euro, que é depositada na sua conta bancária pelo Instituto de Gestão do Crédito Público.



Conteúdo Recomendado