Câmara de Manteigas aprovou orçamento de seis milhões de euros para 2019

A Câmara de Manteigas aprovou a proposta de orçamento municipal para 2019, no valor de cerca de seis milhões de euros, que é idêntico a este ano.

O orçamento foi aprovado pela Câmara Municipal, por maioria, com dois votos do PS, a abstenção de um vereador do PSD (o ex-presidente José Manuel Biscaia) e os votos contra de um eleito do PSD e de outro do movimento independente Unir e Mudar Manteigas (UMM), tendo o seu presidente, Esmeraldo Carvalhinho (PS), exercido o voto de qualidade.

Segundo o autarca de Manteigas, o orçamento para 2019 é idêntico ao de 2018 dado que “as receitas mantêm-se”.

“O município não tem receitas significativas do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), das taxas e licenças e de outra ordem. Vive essencialmente das transferências do Estado. E, assim sendo, o orçamento não cresce senão em função daquilo que são as candidaturas aos fundos comunitários”, justificou Esmeraldo Carvalhinho.

De acordo com o responsável, “tem havido uma dificuldade muito grande nos financiamentos [europeus], na aprovação das candidaturas e na assinatura dos contratos de financiamento, e isso leva a que os projetos se repitam alguns anos nos planos de atividades e orçamentos” das autarquias.

Em Manteigas, as candidaturas que estão neste momento pendentes, a aguardar aprovação, “são exatamente as mesmas do ano passado”, disse.

Quanto a prioridades, o socialista Esmeraldo Carvalhinho disse que no orçamento para 2019 “mantêm-se as que estavam para o ano de 2018 e que já vinham também do ano de 2017”.

Os projetos mais significativos são o Centro de Energia Viva de Montanha, que a autarquia pretende que evolua para Centro de Ciência Viva, e a criação de um Parque Botânico junto deste equipamento, indicou.

No próximo ano, o município de Manteigas, situado no coração da Serra da Estrela, no distrito da Guarda, também pretende reabilitar edifícios de habitação social e tem verbas destinadas para o combate ao insucesso escolar e para a recuperação de edifícios escolares.

Ainda de acordo com Esmeraldo Carvalhinho, o orçamento “que se adequa às necessidades de Manteigas” contempla ainda “alguma intervenção naquilo que é a complementaridade das atividades económicas do concelho, nomeadamente na área do alojamento”.

“Neste momento, em Manteigas, há um forte incremento no que diz respeito à construção e à instalação de novas unidades hoteleiras e o município tem que, paralelamente, criar condições para acompanhar os investidores, para que não se sintam frustrados nos seus investimentos e para que Manteigas cresça cada vez mais em termos de fixação de turistas”, afirmou.

A área do turismo tem “um peso muito significativo no orçamento municipal”, assumiu o autarca.

O orçamento do município de Manteigas vai ser discutido na próxima reunião da Assembleia Municipal.




Conteúdo Recomendado