Bisavó de Pedro Álvares Cabral inspira Feira Medieval de Belmonte

A história de Maria Gil Cabral servirá de mote à 14ª edição do “Belmonte Medieval”.

A Empresa Municipal em conjunto com o Município de Belmonte decidiram diferenciar a sua Feira Medieval e ao mesmo tempo promover a história de Belmonte, servindo-se para isso da “matriarca” Cabral, Maria Gil Cabral, bis avó de Pedro Álvares Cabral.

“Esta feira já é um marco na nossa região”, lembrou António Dias Rocha, autarca belmontense, na apresentação do cartaz do certame que volta a contar com rostos belmontenses. Laura Anjos, José Cunha, Diogo Valentim, Tatiana Dias e Verónica González foram os escolhidos, entre muitos, num casting realizado para toda a população com o intuito de escolher os protagonistas deste cartaz.

A feira que se realizará de 11 a 14 de agosto irá contar com um horário prolongado, durante os quatro dias, os visitantes poderão usufruir da feira até às duas horas da madrugada. As estradas estarão novamente cortadas, e como aconteceu no ano transato existirá transporte dos parques de estacionamento para o recinto da feira.

“Teremos 18 grupos a atuar durante os quatro dias”, revelou o presidente da Empresa Municipal de Belmonte (EMPDS), Joaquim Costa, acrescentando que este ano o grupo Corna Lusa marcará presença. Um desejo antigo do presidente da EMPDS, que espera subir o número de visitantes, que segundo Joaquim Costa, rondou os 40 mil. No que toca ao número de expositores a organização avança que “marcarão presença cerca de 150.”

O certame contará com quatro dias com diferentes temáticas. “O testamento”, “Os desígnios”, “A demanda” e “A matriarca”, respetivamente. Sendo que a grande novidade para esta edição passa por uma ceia medieval que estará sujeita a inscrição por parte dos visitantes (inscrições podem ser efetuadas nos sites do município e da EMPDS). A edição da Feira Medieval deste ano terá um custo, segundo o edil belmontense, de cerca de 70 mil euros.

Pode consultar o programa na íntegra aqui.




Conteúdo Recomendado