Deputado do PS questiona Governo sobre troço da A25 Guarda – Vilar Formoso

O deputado socialista Santinho Pacheco anunciou hoje que questionou o Governo, através da Assembleia da República, sobre o mau estado de conservação do troço Guarda – Vilar Formoso da autoestrada A25.

O deputado eleito pelo círculo eleitoral da Guarda questionou o ministro do Planeamento e das Infraestruturas sobre a previsão de obras, por parte da concessionária Ascendi, naquele troço da A25 (autoestrada que liga Aveiro a Vilar Formoso), que apresenta “piso irregular” e “perigosamente desnivelado”.

“Para quando a concessionária Ascendi tem prevista uma intervenção de fundo na A25 – Autoestrada das Beiras Litoral e Alta, prioritariamente no troço Guarda – Vilar Formoso, que inclua a colocação de um novo tapete asfáltico e sinalização horizontal?”, pergunta Santinho Pacheco.

Na missiva, o socialista também inquire “que meios está o Governo disposto a utilizar para obrigar a concessionária Ascendi a cumprir cabalmente as suas responsabilidades previstas no Contrato de Concessão?”.

“Está o Governo determinado à exigência da suspensão do pagamento de portagens naquele troço da A25 até que os trabalhos de beneficiação da via estejam concluídos como nos parece ser da mais elementar justiça?”, conclui.

Santinho Pacheco explica que decidiu questionar o Governo por a A25 ser o itinerário “com maior volume de tráfego de pesados de mercadorias na ligação à Europa” e por o movimento de veículos ligeiros “ser muito significativo”.

“Piso irregular, completamente partido e ondulado, perigosamente desnivelado, particularmente na berma e faixa da direita, não será com a colocação de avisos aos condutores alertando para o mau estado da via que o perigo desaparece”, reconhece.

O deputado acrescenta que “a juntar a tudo isto, que é muito e grave, a sinalização horizontal é também precária e deficiente, tornando a condução noturna numa perigosa aventura”.

Com o aproximar do inverno, Santinho Pacheco alerta que as condições de segurança naquela via “agravam-se ainda mais”.

O mesmo deputado também questionou o ministro do Planeamento e das Infraestruturas sobre a criação de uma Aliança Regional para a Saúde, para a internacionalização da Economia da Saúde da Região Centro.

Segundo Santinho Pacheco, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro promoveu a assinatura de um memorando com diversas entidades da região e a Guarda não foi envolvida.

“É por nos ignorarem e tentarem apoucar que temos de elevar ainda mais alto o nosso protesto e exigir que este seja mesmo um consórcio aberto a toda a Região Centro”, defende.

O socialista lembra que “o Hospital Sousa Martins da Guarda é também uma unidade hospitalar de nível universitário no âmbito da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior” e que “o Instituto Politécnico da Guarda integra uma Escola Superior de Saúde”.

“Não vamos deixar que iniciativas tão meritórias e promissoras nos passem ao lado”, defende.



Conteúdo Recomendado