Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela reúne o melhor da produção mundial

O 22.º Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, a realizar de 08 a 15 de outubro, em Seia, Guarda, conta com o “melhor da produção mundial”, disse hoje à agência Lusa o diretor.

O festival CineEco, organizado pela Câmara Municipal de Seia, vai decorrer este ano sob o signo “Nuclear Não Obrigado!” e terá a concurso cerca de 100 filmes, de mais de 20 países.

Mário Branquinho, o diretor do festival, que acaba de ser convidado para vice-presidente da plataforma internacional de 35 festivais de cinema de ambiente de todo o mundo [Green Film Network], referiu hoje à Lusa que, “do ponto de vista das sessões de competição”, a edição de 2016 “é considerada das melhores de sempre, com a presença do melhor da produção mundial”.

Segundo o responsável, o CineEco “alarga cada vez mais a sua área de atuação, quer a nível de público durante o festival, quer pela realização de extensões um pouco por todo o país”.

Este ano o festival convidado do evento de Seia é o FINCA – Festival Internacional de Cinema de Buenos Aires, Argentina, contando com a presença de Florencia Santucho no júri internacional, indicou.

O 22.º Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, que vai decorrer na Casa Municipal da Cultura de Seia, inclui na seleção oficial filmes repartidos por várias secções competitivas como longas, médias e curtas-metragens internacionais, séries, documentários e reportagens de televisão, longas e curtas-metragens da lusofonia, panorama regional e sessões especiais.

Na competição internacional de longas-metragens estão filmes que refletem “as várias preocupações da crise ambiental no mundo, nos dias de hoje”, como “A Morte Diária”, de Daniel Lentini (Brasil), “Rio Corgo”, de Maya Kosa & Sérgio da Costa (Suíça/Portugal), “A Vida Em Chamas”, de Manuel H. Martín (Espanha), “Flores do Futuro: Dobra Voda”, de Valérie Valette (França), “O Normal É Mais Que Um Filme”, de Renee Scheltema (África do Sul), e “Sempre a Terra”, de Sarah Grohnert (Nova Zelândia).

Nas atividades paralelas destaca-se um concerto para olhos vendados, de Luís Antero, uma oficina sobre os 40 anos do Parque Natural da Serra da Estrela e uma conferência sobre “Conservação e Desenvolvimento Local no Século XXI: os desafios no Parque Natural da Serra da Estrela”, segundo a organização.

O festival CineEco decorre de forma ininterrupta, desde 1995, por iniciativa da Câmara Municipal de Seia.

A apresentação pública da edição deste ano está marcada para hoje, às 21h30, no Cineteatro da Casa Municipal da Cultura de Seia, com a presença do presidente da Câmara Municipal de Seia, Carlos Filipe Camelo.

Depois da cerimónia será exibido o documentário “Amanhã”, de Cyril Dion e Mélanie.



Conteúdo Recomendado