Aldeia de Cabeça promove “Aldeia Natal”

A iniciativa realizada na aldeia de Cabeça, no concelho de Seia é considerada o Natal mais ecológico do país.

O Conselho Diretivo dos Baldios de Cabeça em parceria com a Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede das Aldeias de Montanha (ADIRAM), o Município de Seia e a União de Freguesias Vide e Cabeça acolhem a sexta edição do evento natalício “Aldeia Natal”, que este ano se realiza de 15 de dezembro a 6 de janeiro.

Segundo os promotores, a Aldeia Natal é um evento 100% sustentável e todo o trabalho de decoração é feito pelos moradores da aldeia, sendo que a expressão “Uma aldeia genuína. Por mãos de gente genuína” é a que melhor define e descreve a Aldeia Natal.

A organização salienta ainda o facto de todos os materiais usados para a decoração da Aldeia serem retirados da natureza, desde giestas, videiras, pinheiros e lã das ovelhas bordaleiras da Serra da Estrela. A decoração fica completa com a utilização de luzes LED, uma vez que a aldeia de Cabeça é a primeira Aldeia Led de Portugal.

Segundo a organização, o evento contempla um conjunto atividades, das quais se destacam um desfile de moda inspirado no burel, tecido produzido de forma artesanal na serra da Estrela, ações de sensibilização para a preservação da floresta e a recuperação de animais selvagens, passeios fotográficos para a descoberta da aldeia e percursos pedestres interpretativos.

A visita à aldeia é complementada com tasquinhas de produtos regionais, artesanato, animação de rua e experiências inspiradas na história, saberes e sabores da serra da Estrela.

A aldeia de Cabeça cumpre a tradição com a habitual missa do galo e a fogueira de natal nas ruas da aldeia e oficinas de cozinha no forno comunitário. Este ano, o concerto de Natal fica a cargo dos Figo Maduro e haverá ainda a atuação do grupo da aldeia “Balancé da Cabeça”.

No dia 16 de dezembro, realiza-se uma prova de 14km, onde os participantes irão percorrer os socalcos da Aldeia de Cabeça e Casal do Rei. As inscrições para a caminhada têm um custo de 12 euros e o valor reverte a 100%, para ações de silvicultura e plantação de árvores autóctones, segundo refere a organização.

 

 




Conteúdo Recomendado