Vem aí uma nova rota ibérica de enoturismo pelo Douro

Uma rota enoturística do Douro vai ser criada em parceria com o Turismo do Porto e Norte de Portugal e a região espanhola de Castela e Leão. Mas há mais atividades pensadas para promover os vinhos desta região.

Uma nova rota de enoturismo vai nascer “a médio prazo”, ligando territórios português e espanhol, criada numa parceria entre o Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) e a região autónoma espanhola de Castela e Leão. A iniciativa foi agora anunciada e é uma das ações conjuntas que pretendem promover o Douro e os seus vinhos como destino e motivo turístico.

As duas entidades decidiram também que, a médio prazo, pretendem elaborar um “inventário dos recursos turísticos do Douro”, criar uma “marca turística conjunta” do território, e “organizar um evento tendo o vinho como fio condutor”. Para médio e longo prazo foi também assinalada a importância económica e de combate à desertificação que a reativação da ligação ferroviária internacional entre o Porto e Salamanca poderia ter para ambas as regiões.

Elaborar um calendário de eventos transfronteiriços de interesse turístico para o público em geral, bem como gizar um calendário de promoção nacional e internacional do destino Douro para fomentar os negócios entre empresários entre Norte de Portugal e Castela e Leão fazem também parte dos planos.

“O mais importante é esta vontade de podermos fazer uma promoção internacional deste território e também permitirmos que, do lado de Castela e Leão, possam fazer a ativação da sua marca nos nossos eventos, mas também permitindo eles, nos eventos do lado espanhol, que o Porto e Norte possa ativar a sua marca”, declarou o presidente da TPNP, Luís Pedro Martins, referindo que Espanha é o “primeiro mercado emissor de turistas” para o Norte.

A presidente do Turismo de Castela e Leão, Estrela Torrecilla, reforçou, por seu turno, a importância do rio Douro como um “laço de união” entre as duas regiões e que passa por cinco das nove províncias de Castela e Leão, atravessando um território “muito variado até chegar ao Porto”. “Trata-se do rio com mais vinhos premiados do mundo e com mais património da UNESCO do mundo” disse.




Conteúdo Recomendado