UTAD vai acolher sede de rede para a investigação da vinha e do vinho

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Vila Real, vai acolher a sede da rede de cooperação Riev2 que visa a investigação e experimentação da vinha e do vinho, um projeto impulsionado por vários ministérios.

O despacho que cria a Rede de Investigação e Experimentação da Vinha e do Vinho do Douro (Riev2) saiu hoje, em Diário da República, e foi assinado pelos ministros Adjunto, da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, do Planeamento e das Infraestruturas, da Economia, do Ambiente e da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

A Riev2 é uma rede de cooperação científica e tecnológica para a investigação e experimentação da vinha e do vinho que vai ficar sediada na UTAD, em Vila Real.

O projeto envolve ainda o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, o Turismo de Portugal, o Regia Douro Park e o Instituto dos Vinhos do Douro e Porto.

Segundo o despacho, esta rede deve facilitar a investigação e desenvolvimento experimental, incluindo atividades em campo e estufa, em aspetos como as alterações climáticas e influência nas condições produtivas das regiões vitícolas, o modo de produção biológico, qualidade do vinho e novas tendências, monitorização da rega da vinha, viticultura de precisão, produtividade da vinha ou autenticação de vinhos.

A rede deve realizar atividades de investigação e desenvolvimento (I&D) e formação superior inicial e pós-graduada e deve ainda envolver valências de viticultura e enologia, como o controlo da qualidade enológica, ecofisiologia, física e química dos solos, biotecnologia, genética e proteção de plantas.

As suas iniciativas devem ser articuladas com instituições de ensino superior e escolas de formação profissional.

A Riev2 vai ser dirigida por um conselho de coordenação, composto por representantes das entidades que constituem a rede, o qual deve reunir semestralmente, deve organizar uma conferência anual e tem que apresentar ao Governo, no prazo de um ano, um plano estratégico para o desenvolvimento institucional e afirmação da rede, no contexto nacional e internacional.

Esta rede foi desenvolvida em articulação com o estímulo do Governo para a criação de “Laboratórios Colaborativos”, que têm como objetivo a definição e implementação de agendas de investigação e inovação, assim como o desenvolvimento de processos de internacionalização da capacidade científica e tecnológica nacional.




Conteúdo Recomendado