UBI vai contribuir para melhorar a formação em cuidados paliativos

A assinatura de um protocolo com o Ministério da Saúde levará à introdução de conteúdos específicos no Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde.

A Universidade da Beira Interior (UBI) deu início este mês a um trabalho conjunto com o Ministério da Saúde que pretende melhorar a prestação de cuidados de saúde, em especial ao nível dos cuidados paliativos. A concretização da parceria resultará na introdução de conteúdos relacionados com esta área na formação pós-graduada – nomeadamente no Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde –, na realização de outras atividades formativas e através de investigação.

A ligação da UBI a este plano governamental reconhece a capacidade formativa do Departamento de Psicologia e Educação (DPE) e ainda o contributo que a mesma pode dar em especificidades de relevância para o Serviço Nacional de Saúde, como é o caso da intervenção psicológica nos cuidados paliativos.

De acordo com o DPE, “o investimento em formação específica e dinamização do ensino nesta área permitirá o enriquecimento do currículo académico dos alunos, passando a comunidade a contar com profissionais com mais competências de intervenção psicológica em cuidados paliativos”. Para essa formação de profissionais qualificados, o DPE contribuirá com “a promoção de ajustamentos nos conteúdos programáticos das unidades curriculares de Psicologia Clínica e da Saúde, designadamente as que se encontram relacionadas com avaliação e intervenção psicológica”.

No âmbito deste protocolo poderão surgir ainda possibilidades de estágios “em unidades de saúde com a valência de cuidados paliativos”, segundo o Departamento que integra a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UBI.

A Universidade da Beira Interior, na linha da sua política de promoção das melhores práticas clínicas em psicologia, associa-se à estratégia nacional de elevar a qualidade no apoio aos utentes, de acordo com a Lei de Bases dos Cuidados Paliativos, que propõe a implementação de uma política de recursos humanos para as unidades e equipas, regida por padrões de qualidade, baseada na formação específica.

O protocolo foi assinado na Sede da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, e do Bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses, Francisco Miranda Rodrigues, a 7 de fevereiro. Além da UBI, estão envolvidas mais oito instituições de Ensino Superior nacionais, nomedadmente UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Universidade do Minho, Universidade de Aveiro, Universidade de Évora, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação de Coimbra, Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia do Porto e Faculdade de Ciências Sociais e Humanas do Algarve 




Conteúdo Recomendado