Sp. Covilhã soma sétima derrota consecutiva

Com um golo de Hélder Sousa, a cinco minutos do fim, o aflito Trofense venceu este domingo por 1-0, na receção ao Sp. Covilhã, que acabou reduzido a oito jogadores, na 36.ª jornada da 2.ª Liga.

Com esta vitória, a equipa de Porfírio Amorim continua acima da linha de água, mas apenas com um ponto de distância do lanterna vermelha, o Atlético, tendo, no entanto, ganho terreno face ao antepenúltimo, a Oliveirense, que perdeu (3-2) em casa do Sporting B. Por seu lado, e com esta derrota, o Sp. Covilhã mantém a seca de vitórias, uma vez que não vence desde a jornada 24, em janeiro, quando recebeu e venceu o Tondela, por 1-0, ou seja há 12 jogos. Necessitado de pontos para se manter na luta pela manutenção, o Trofense até entrou melhor, mas rapidamente se percebeu que o Sporting da Covilhã, confortavelmente instalado a meio da tabela, não seria um alvo fácil de bater, com a equipa de Francisco Chaló a mostrar mais argumentos no início da segunda parte. Com o nulo ao intervalo, apresentaram-se em campo uma equipa, a da casa, muito nervosa, e um Covilhã organizado. Mas, o ascendente dos serranos acabou por anular-se com duas expulsões em menos de 10 minutos. Primeiro foi Bata a ver o segundo amarelo, ao fazer falta dura sobre Tiago, aos 67′. Seguiu-se a expulsão, com vermelho direto, de Taborda quando o guarda-redes saiu da sua área para alegadamente travar, em falta, Riascos (74′). Ambas as decisões geram muitas dúvidas. A equipa da Trofa jogava com mais dois jogadores e, ainda que tivesse encostado os visitantes à sua defesa, continuava com muita dificuldade em finalizar. Aos 85 minutos, a equipa de Francisco Chaló viu mais um jogador se expulso, ao ver cartão vermelho direto: o árbitro bracarense Manuel Mota considerou que Edgar travou Riascos em falta, na grande área, e expulsou o defesa serrano, reduzindo o Sp. Covilhã a oito jogadores. Na conversão da grande penalidade, aos 87 minutos, Hélder Sousa não desperdiçou e fez o golo que deu a vitória ao Trofense, provocando a ira no banco do Covilhã.



Conteúdo Recomendado