Licenciado pela UBI nomeado ministro em Cabo Verde

Formou-se em Economia na Universidade da Beira Interior, entre 1993 e 1999 e vai fazer parte do novo governo cabo-verdiano. Fernando Elísio Freire de Andrade recorda a passagem pela UBI.

Fernando Elísio Freire de Andrade, licenciado em Economia pela Universidade da Beira Interior (UBI), é um dos 12 elementos do novo governo de Cabo Verde, saído das eleições de março que deram a vitória ao Movimento para a Democracia (MpD), liderado por Ulisses Correia e Silva.

É a mais recente etapa do percurso na política deste antigo estudante da UBI, que é deputado há cerca de sete anos e ocupava na última legislatura a presidência do grupo parlamentar do seu partido.

Agora, com a tomada de posse a acontecer ao que tudo indica esta semana, assume a chefia do Ministério dos Assuntos Parlamentares, da Presidência do Conselho de Ministros e do Desporto. Fernando Elísio Andrade procurará aplicar nas tarefas governativas muito do que adquiriu na Covilhã.

“Na UBI apreendi que o esforço, o trabalho e o rigor compensam sempre. Hoje sou fruto disso. Tudo que é feito com esforço e rigor dá bons frutos. Na Covilhã tornei-me um jovem cosmopolita, solidário e tolerante. Respirava-se liberdade e alegria na cidade. Um homem que é rigoroso, esforçado, trabalhador, cosmopolita, solidário e tolerante só pode ser um excelente profissional e um homem livre”, explica.

A vinda para a UBI decorreu na sequência da atribuição de uma bolsa de cooperação, uma situação que tem permitido a muitos estudantes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) formarem-se na academia da Covilhã, ao longo dos anos. Esta aposta tem sido aprofundada pela instituição, resultando na formação de muitos quadros qualificados para esses países.

“É vantajoso para os estudantes, para a UBI e para a cidade”, salienta Fernando Elísio Andrade, acrescentando: “A UBI só pode internacionalizar-se via estudantes de outros países e a Covilhã só é uma cidade cosmopolita porque tem estudantes de outras cidades e de outros países, o que lhe permite afirmar-se a nível de Portugal e do Mundo. Quem estudou fora do seu país sabe o valor do cosmopolitismo, da vivência cultural diversificada e o peso que isso tem na afirmação profissional. A UBI e a Covilhã devem continuar a apostar nesse caminho. O futuro está aí”.

Tal como é vantajosa a aposta da reaproximação da UBI aos seus antigos alunos, através da dinâmica Alumni, que entende ser uma “excelente” estratégia: “A força da UBI está nos seus alunos e nos seus antigos alunos. A ligação à Universidade e à cidade aumentam a competitividade da instituição, torna-a mais apetecível para as novas gerações e permite uma maior penetração ao nível de Portugal e da CPLP”.

Fernando Elísio de Andrade reconhece que da Covilhã só conhecia o clube de futebol local, mas hoje refere tratar-se de uma “cidade mágica”, que casa perfeitamente com a Universidade, com vantagens incontáveis para ambas.

Continua a acompanhar o quotidiano da instituição que descreve como “moderna, credível e competitiva”, uma “referência da região e de Portugal e ao nível da CPLP”.

“Os ex-estudantes da Universidade têm sido os grandes embaixadores da instituição. Os profissionais formados na UBI são muito respeitados e ocupam cargos relevantes, por exemplo, em Cabo Verde, ao nível das instituições públicas e nas empresas”, salienta Fernando Elísio Andrade.

A poucos dias da tomada de posse, assume sentimentos de humildade e missão para servir o país. “É uma enorme responsabilidade, mas com as aprendizagens que obtive na Covilhã e na UBI estarei à altura dos desafios que se colocam ao meu país”, conclui.

Perfil

Fernando Elísio Andrade nasceu em 1974 e é casado. Licenciou-se em Economia pela UBI em 1999 e conta no seu currículo, entre outras, com passagens pelo Banco de Cabo Verde, como técnico Assessor, no Departamento de Estudos e Estatísticas Económicas.

Foi presidente da Juventude para a Democracia entre 2004 e 2008, ano em que se tornou deputado, tendo chegado a líder parlamentar.



Conteúdo Recomendado