Salgueiro do Campo estreia nova estratégia de feiras no concelho de Castelo Branco

A Câmara de Castelo Branco, em colaboração com as juntas de freguesia, está a implantar uma nova estratégia no que respeita à dinamização de feiras, no concelho.

A novidade foi avançada pelo presidente da Câmara, Luís Correia, esta segunda-feira, na apresentação da Feira da Vinha e do Vinho, que decorre em Salgueiro do Campo, entre a próxima sexta-feira e domingo.

Luís Correia começa por afirmar que “do conjunto de feiras no Concelho, esta é a primeira que vimos apresentar” e sublinha que “fizemos um trabalho com os presidentes das juntas de freguesia, para redesenhar a dinamização”, que terá como chapéu comum o lema Castelo Branco – Natureza, Sabor e Cultura.

O autarca realça que este ano “a alteração não será feita na totalidade, mas haverá uma alteração significativa desta realidade”, sendo que deste modo também se pretende evitar “a sobreposição de atividades”, com a finalidade se “se mostrar o que melhor se faz, com base numa estratégia articulada”. Tudo isto dentro da estratégia definida para o Concelho que está a fazer o seu caminho. Nestas feiras o lema é ir-se apostando naquilo que é a nossa realidade da estratégia do Concelho.

Assim, continua, “nestas 17 feiras/festivais vai promover-se o que melhor temos no Concelho”, com a aposta em pontos-chave, como “a natureza, a tradição, os momentos de vivência, que pretendemos valorizar e promover”.

Luís Correia adianta que no caso de Salgueiro do Campo “é o vinho, mas passar por outras áreas, como o queijo e o feijão-frade, entre outras”, revelando ainda que “ao longo dos 17 eventos, haverá atividades complementares”.

O presidente avança igualmente que “há também duas ligações importantes. Uma é a transferência do conhecimento de ofícios. Levar esse conhecimento ao que é a modernidade, a ciência. Por outro lado, pretendemos irmos dando, sempre que podemos, uma perspetiva turística, que atraia mais pessoas de fora do Concelho”.

Luís Correia reforça que “Castelo Branco tem um conjunto de 17 feiras/festivais com uma nova imagem, com divulgação, sendo que com esta reformulação vamos conseguir reforçar e ir mais além”. Isto, garante, “percorrendo um caminho, não de uma forma desgarrada. Temos objetivos concretos e um caminho que queremos construir”.

Destaca também que existe “um objetivo social de dinamização das nossas freguesias. Isso vai ser uma certeza. Vamos valorizar tudo o que há de bom nas freguesias. Os sabores, as tradições a cultura de cada uma das freguesias e isso facilita a promoção turística do Concelho”.

Com as novidades como pano de fundo, o presidente da Junta de Freguesia de Salgueiro do Campo, Hugo Dias, revela que o certame, “este ano decorre em três dias, pois acrescentou-se a sexta-feira, rentabilizando o investimento”.

Como habitualmente, a Feira decorre no Rossio, na Zona de Lazer, e destacando as principais novidades realça que “durante o certame haverá provas de vinhos dos produtos locais, que na Freguesia são cerca de 30, que têm como ponto forte o vinho maduro tinto”.

Outra novidade respeita à denominação do certame, que foi alterada. O evento, recorda, Hugo Dias, “começou em 2002, como prova de vinhos, e decorria num sábado. Depois evoluiu e passou para uma prova de vinhos, durante quatro anos, para dar lugar à Feira do Pão, Queijo e Vinho, que também envolvia a extinta Freguesia de Juncal do Campo. Já depois disso, com a mesma denominação, passou a ser só do Salgueiro do Campo e, este ano, muda o nome para Feira da Vinha e do Vinho, dando destaque a um único produto”.

O programa da Feira, que conta com 40 expositores, além dos 30 produtores de vinho, começa na próxima sexta-feira, às 18 horas e à noite, a partir das 20 horas, há animação musical, com Rui Aziago e banda.

Sábado, o certame abre às 10 horas e às 16 horas atua o Grupo de Concertinas Amigos do Faleiro, enquanto a partir das 21 horas é a vez de Virgílio Faleiro.

Domingo, às nove horas realiza-se o passeio pedestre Rota das Lagaretas, no qual as inscrições são feitas no próprio dia. Às 12 horas realiza-se um almoço convívio e atua o grupo Hora da Pinga. Às 15h30 sobe ao palco o Grupo de Danças e Cantares da Beira Baixa e às 16 horas o Grupo de Adufeiras de Idanha-a-Nova.




Conteúdo Recomendado