Sabugal organiza festival de música tradicional

Um festival de música tradicional, que propõe várias atividades gratuitas para o público, vai animar a localidade de Malcata, no concelho do Sabugal, entre sexta-feira e domingo, disse hoje à agência Lusa fonte da organização.

A 5.ª edição do festival Iberfolk inclui espetáculos de música, oficinas, passeios, uma mostra de artesanato, concertos e teatro, entre outras atividades.

O evento é organizado pela Câmara Municipal do Sabugal, com a colaboração da Transcudânia – Associação para a Valorização do Património Histórico e Natural do Concelho do Sabugal, da Junta de Freguesia de Malcata, da Associação Cultural e Desportiva de Malcata e da Associação Lérias.

Durante três dias, os participantes podem “usufruir de uma paisagem de ‘encher os olhos’, abraçando o património arquitetónico e cultural, celebrando e reinventando a tradição, entre o calor das gentes da terra que tão bem sabem receber”, segundo os promotores.

Ricardo Nabais, presidente da associação Transcudânia, disse hoje à agência Lusa que as edições anteriores do evento cultural foram realizadas na aldeia histórica de Sortelha, mas este ano a organização decidiu mudar de palco e a opção recaiu na aldeia de Malcata, “para permitir que as pessoas possam usufruir da barragem” local.

Participam no festival as bandas Marafona, Las Çarandas, Folk on Crest (Espanha) e Todo este Chão (Ricardo Fonseca).

A animação de rua está a cargo da Associação Lérias, de Miranda do Douro, assim como as oficinas de gaita-de-foles, de percussão, de danças mirandesas e de pauliteiros, indicou.

Durante os três dias do festival, a organização estima acolher “entre três a cinco mil pessoas”, disse Ricardo Nabais, indicando que nos anos anteriores a afluência de participantes foi de cerca de quatro mil.

“Vamos ver se com a disponibilidade de água o número de participantes aumenta” [em relação aos anos anteriores], disse o responsável, lembrando que o evento de animação de verão costuma ser frequentado por cidadãos nacionais e estrangeiros, com destaque para os espanhóis.

No evento “é tudo gratuito”, desde a entrada ao acampamento, sendo que “as pessoas só têm que pagar a deslocação, a alimentação e as bebidas”, concluiu Ricardo Nabais.




Conteúdo Recomendado