PS da Guarda diz que Governo vai retomar o projeto de requalificação do hospital

Segundo o dirigente socialista, o projeto “saiu novamente da gaveta, mas, desta vez, não saiu coxo, porque não saiu apenas para protagonizar um número político”.

A Federação Distrital da Guarda do PS anunciou hoje que o Governo vai retomar o projeto de requalificação do hospital e que o Orçamento do Estado para 2019 aumentou a dotação para a Unidade Local de Saúde.

O presidente do PS distrital da Guarda, Pedro Fonseca, afirmou em conferência de imprensa que o Governo vai requalificar o denominado Pavilhão N.º 5 do Hospital Sousa Martins – onde funcionaram as urgências até à abertura do novo bloco, em 2014 – para acolher o Departamento da Criança e da Mulher.

“O projeto do Pavilhão N.º 5 já foi atualizado e encontra-se em apreciação pela entidade competente, a Administração Central do Sistema de Saúde”, esclareceu.

Segundo o dirigente socialista, o projeto “saiu novamente da gaveta, mas, desta vez, não saiu coxo, porque não saiu apenas para protagonizar um número político”.

“Desta vez, e ao contrário do que sucedeu em 2017, as especialidades já foram aprovadas pela Administração Regional de Saúde do Centro, condição ‘sine qua non’ para a sua aprovação. Concluído este procedimento, o projeto encontrará o compromisso e a vontade política do Governo socialista e será, finalmente, executado”, disse.

Pedro Fonseca anunciou também que o atual conselho de administração da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, presidido pela médica Isabel Coelho, “tem encetado esforços para assegurar, a curto prazo, a certificação de serviços pela Direção-Geral da Saúde e a promoção de investigação científica”.

“Estas são as duas premissas necessárias para que a ULS da Guarda possa obter a classificação de centro universitário e o PS/Guarda fará tudo o que estiver ao seu alcance para garantir o cumprimento deste importante desiderato”, assumiu.

Segundo o responsável, “ao contrário de outros atores políticos, que defendem publicamente a fusão da ULS da Guarda com outra unidade hospitalar, ficando a Guarda numa posição subalterna, o PS/Guarda apenas admite um futuro para a ULS: a sua afirmação enquanto referência regional ao nível da saúde”.

No dia 30 de novembro, a Comissão Política Distrital do PSD chamou a atenção para o setor da saúde no distrito, considerando que o desinvestimento do Governo é “brutal”.

A estrutura social-democrata, presidida por Carlos Peixoto, denunciou, em conferência de imprensa, que o Governo aprovou um Orçamento do Estado (OE) que “em 2019 reduz em quase 15 milhões de euros a dotação para a ULS da Guarda”.

Hoje, o líder distrital do PS assegurou que o OE para o próximo ano “aumentou a dotação orçamental para a ULS da Guarda na ordem dos 2,4% em relação ao ano anterior”.

“São mais 2.123.951 euros do que em 2018”, indicou Pedro Fonseca, adiantando que, “a este valor, falta ainda acrescentar a verba extraordinária que o Governo transferirá, como tem transferido anualmente, para a ULS da Guarda, para que a entidade continue a reduzir a sua dívida por antiguidade”.




Conteúdo Recomendado