Prisão preventiva para suspeito de agredir militar da GNR de Seia

Um homem de 56 anos, suspeito da prática dos crimes de homicídio tentado e de dano agravado, pela alegada agressão a um militar da GNR de Seia, vai aguardar julgamento em prisão preventiva, foi hoje anunciado.

O Ministério Público, em comunicado publicado no seu ‘site’, refere que os factos remontam ao dia 13 de maio e ocorreram em Seia, no distrito da Guarda.

O detido “tentou espetar uma lança no abdómen de um militar da GNR, que pretendia notificá-lo de uma decisão judicial”, segundo a fonte.

A nota acrescenta que, “durante o confronto, o arguido que, para além da lança, se encontrava munido de um machado, provocou vários estragos na viatura policial em que aquele militar se fazia transportar”.

Na sequência da detenção, o Ministério Público apresentou o arguido a primeiro interrogatório judicial e o juiz de Instrução Criminal decidiu aplicar-lhe a medida de coação de prisão preventiva.

O homem está “fortemente indiciado da prática dos crimes de homicídio tentado e dano agravado”.

A investigação do caso prossegue a cargo da Polícia Judiciária sob direção do Departamento de Investigação e Ação Penal da Comarca da Guarda.

Fonte do Comando Territorial da GNR da Guarda referiu à agência Lusa que o militar de Seia “sofreu pequenas escoriações”. “Necessitou de tratamento hospitalar, mas teve alta e manteve-se ao serviço”, acrescentou.

A mesma fonte contou que “nada fazia prever a agressividade com que o homem recebeu e atacou a patrulha da GNR, porque se tratava de uma simples notificação”.




Conteúdo Recomendado