Covid-19: Museu da Guarda reabre com medidas de segurança e higienização

O Museu Regional da Guarda, que é gerido pela Câmara Municipal, reabriu hoje as portas ao público com medidas de segurança, proteção e higienização, para evitar a contaminação pela covid-19.

“Depois de dois meses de encerramento devido à pandemia causada pela covid-19, o Museu da Guarda reabre agora com um protocolo de medidas de segurança, proteção e higienização”, refere um comunicado publicado na página do Facebook daquele equipamento cultural.

Segundo a nota, no espaço, que funciona de terça-feira a domingo, das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, estão “acauteladas todas as medidas de higienização necessárias à salvaguarda da saúde de funcionários e visitantes, conforme as diretrizes da Direção-Geral da Saúde”.

O normativo de segurança e higiene relativo à reabertura do Museu Regional da Guarda estabelece que no edifício “só é permitida a entrada a duas pessoas em simultâneo”, enquanto na Galeria d’Arte Evelina Coelho “só é permitida a entrada a uma pessoa de cada vez”.

Como “medidas suplementares de segurança”, referem-se a obrigatoriedade de o visitante estar munido de máscara e de luvas e a utilização de máscara de proteção e de luvas por parte dos funcionários.

O Museu da Guarda indica também que existem produtos de desinfeção pessoal à entrada e à saída, sendo que a visita começa pela receção e a saída é efetuada pela porta oposta.

É ainda referido que será feita a higienização e desinfeção diária suplementar das instalações por uma “equipa avalizada”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 316.000 mortos e infetou mais de 4,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Portugal contabiliza 1.247 mortos associados à covid-19 em 29.432 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

O Governo aprovou na sexta-feira novas medidas, entre as quais a retoma das visitas aos utentes dos lares de idosos, a reabertura das creches, aulas presenciais para os 11.º e 12.º anos e a reabertura de algumas lojas de rua, cafés, restaurantes, museus, monumentos e palácios.




Conteúdo Recomendado