Prisão preventiva para 10 dos 14 detidos em Seia, Coimbra, Montemor-o-Velho e Tomar

O Tribunal Judicial de Seia, no distrito da Guarda, aplicou a medida de coação de prisão preventiva a 10 dos 14 detidos pela GNR por alegado tráfico de estupefacientes nos concelhos de Seia, Coimbra, Montemor-o-Velho e Tomar.

Segundo um comunicado do Comando Territorial da GNR da Guarda, os detidos, nove homens e cinco mulheres, com idades entre 31 e 59 anos, foram presentes ao Tribunal Judicial de Seia, entre quarta-feira e sábado, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de eventuais medidas de coação.

“Dez detidos ficaram sujeitos à medida de coação de prisão preventiva e dois [ficaram] sujeitos às medidas de coação de termo de identidade e residência com proibição de contactos com os outros arguidos”, de acordo com a fonte.

Em relação a dois dos detidos, fonte da GNR adiantou à Lusa que um retomou ao Estabelecimento Prisional onde cumpria pena por outros crimes e o outro pagou uma multa que estava pendente e foi restituído à liberdade.

A detenção dos suspeitos foi efetuada na terça-feira, pela GNR, através do Destacamento Territorial de Gouveia, no distrito da Guarda, no âmbito de dois inquéritos que decorriam há seis meses.

A GNR adiantou em comunicado que durante a ação “foi possível desmantelar duas redes que se dedicavam ao tráfico de estupefacientes em quatro concelhos dos distritos da Guarda, Santarém e Coimbra”.

Os militares da GNR deram cumprimento a 28 mandados de busca e apreenderam dez veículos, uma pistola de calibre 6,35 milímetros, uma arma de ar comprimido (três armas brancas), 3.310 euros, 29 telemóveis, produto estupefaciente (cocaína e heroína) e vários objetos relacionados com o alegado tráfico.

“No decorrer da operação, foi possível apurar que um dos detidos se encontrava evadido de estabelecimento prisional, onde cumpria a pena de três anos de prisão efetiva pelos crimes de roubo e tentativa de homicídio, e que um outro tinha um mandado de detenção pendente para pagamento de multa”, segundo a nota.

A fonte referiu que, no seguimento das diligências policiais, foram também elaborados dois autos de notícia por contrafação, tendo sido apreendidos 152 artigos de vestuário e diversos perfumes com o valor total de 5.500 euros.

A ação da GNR contou com o reforço de elementos do Destacamento de Intervenção, da estrutura de investigação criminal do Comando Territorial da Guarda, do Grupo de Intervenção de Operações Especiais, dos Comandos Territoriais de Coimbra e de Santarém e da Polícia de Segurança Pública.



Conteúdo Recomendado