Pecuária em Castelo Branco constituía “grave perigo para a saúde pública”

Entre as irregularidades detectadas pelas autoridades estão o “uso ilícito de medicamentos veterinários” e a “descarga ilegal de efluentes pecuários”.

Uma exploração pecuária, no concelho de Castelo Branco, foi identificada pelas autoridades por incumprimento das obrigações em suinicultura, “constituindo grave perigo para a saúde pública”.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) procedeu à fiscalização depois de uma denúncia feita através da linha SOS Ambiente e Território.

Na exploração em causa, com cerca de 400 suínos, foram identificadas “diversas irregularidades”, entre as quais, diz a autoridade em comunicado, o uso ilícito de medicamentos veterinários, o licenciamento ilícito da atividade pecuária e a descarga ilegal de efluentes pecuários, “não possuindo a adequada rastreabilidade sanitária”.

No seguimento das diligências foram elaborados três autos de contraordenação, punidos com coimas cujo valor máximo podem atingir os 144 mil euros.

Esta ação, faz ainda saber a GNR, foi realizada em conjunto com a Direção Geral de Alimentação e Veterinária de Castelo Branco (DGAV) e a Delegação da Agência Portuguesa do Ambiente – Administração da Região Hidrográfica (APA-ARH) do Tejo e Oeste.




Conteúdo Recomendado