Padre de Gouveia lança livro para apoiar trabalho dos Missionários de São João Batista

O livro “Missão em África: Lançar sementes, colher sorrisos?” reúne textos que, ao longo dos anos, foram publicados pelo sacerdote.

O padre Carlos Jacob, da Congregação dos Missionários de São João Batista, apresenta, no sábado, em Gouveia, um livro cuja venda vai reverter a favor do trabalho daquela instituição em Moçambique.

O livro “Missão em África: Lançar sementes, colher sorrisos?” será apresentado às 15h30, no pavilhão do Seminário de Gouveia, no distrito da Guarda.

Carlos Jacob, de 59 anos, que atualmente é capelão da Santa Casa da Misericórdia de Gouveia, reitor do Seminário e Superior da Comunidade dos Missionários de São João Batista, esteve 13 anos em missão em Moçambique (entre 1998 e 2008 na missão de Nossa Senhora das Graças de Murrupula e de 2008 a 2011 na missão de São João Batista, no Marrere, arquidiocese e província de Nampula).

O livro “Missão em África: Lançar sementes, colher sorrisos?” reúne textos que, ao longo dos anos, foram publicados pelo sacerdote, no jornal Notícias de Gouveia, sobre a sua presença em Marrere.

Também já publicou um outro livro com o título “Missão em África: Marcas de uma caminhada”, com textos alusivos a Murrupula.

O sacerdote disse hoje à agência Lusa que a nova obra ganha visibilidade junto do público após a ocorrência do ciclone Idai, que atingiu Moçambique, em 14 de março, e provocou pelo menos 603 mortos.

“Este livro pretende ser uma coletânea de textos e de fotos e pretende ser um memorial aos muitos protagonistas no Marrere. Também um hino de gratidão a Deus e ao povo Macua que me acolheu, e um arco-íris de esperança neste Ano Missionário, porque a vida é missão”, adiantou Carlos Jacob.

O missionário considera ainda que a obra, com cerca de 100 páginas, a cores, também “continuará a ser um repto à sensibilidade e à solidariedade”.

As receitas do livro, que será vendido no Seminário de Gouveia, por 15 euros a unidade, revertem a favor de três obras dos Missionários de São João Batista em Moçambique: Missão do Marrere, Seminário e Centro Padre Haw de Nampula.

Segundo o autor, apesar de a zona de Moçambique onde a presença dos Missionários de São João Batista é efetiva não ter sido atingida diretamente pelo ciclone Idai, “as repercussões são muitas e são sempre indiretas”.

“Este livro aparece num contexto do Idai e surge na sua sequência, quando as pessoas estão mais sensíveis e generosas. Nós queremos que as pessoas colaborem mais, porque as consequências são muitas”, disse.

A Caixa Geral de Depósitos apoia o lançamento do livro de Carlos Jacob no âmbito da “Operação Embondeiro”, que visa o apoio às vítimas das tempestades que têm assolado a região da Beira, em Moçambique.




Conteúdo Recomendado