O sobe e desce de preços para 2020

Rendas, transportes e telecomunicações vão ficar mais caras. O mesmo cenário repete-se no pão e no leite. Já a luz e o gás vão baixar de preço.

Ano novo, vida nova. E mais uma vez, é sinónimo de aumento de preços. Rendas, transportes e telecomunicações estão entre os bens e serviços cujo preço aumenta em janeiro. A grande surpresa vai para a conta da luz que desce para todos os clientes.

No caso dos contratos de arrendamento para habitação conte com uma subida de 0,51% no valor da renda a pagar mensalmente. Esta foi a taxa de inflação registada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) nos 12 meses até agosto, e que serve de referência para a atualização das rendas ao início de cada ano.

Também o pacote de telecomunicações vai ficar mais caro. As operadoras preparam-se para subir o valor das mensalidades. A Altice Portugal já anunciou um aumento mínimo de 50 cêntimos, enquanto a NOS anunciou que “os preços de alguns serviços serão atualizados, conforme previsto nas condições de serviço, em 1%, que corresponde à última taxa de inflação nacional anual publicada pelo INE”. Para já, a Vodafone e a Nowo prometem que não farão aumentos generalizados de preços em 2020.

Deslocações no sobe e desce

Os preços das portagens nas autoestradas vão manter-se em 2020. O mesmo não acontece com os transportes públicos que deverão sofrer um aumento de 0,38%. No entanto, este valor é contestado pela Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Pesados de Passageiros (ANTROP), por colocar em causa “a prestação do serviço público de transportes”, garantiu o presidente da entidade, Luís Cabaço Martins, ao reivindicar uma atualização de 3,96%.

No que diz respeito ao carro, o ISV e o IUC serão atualizados à taxa de 0,3%. Já o preço da inspeção deverá subir 0,25%.

Pão e leite

O preço do pão poderá sofrer “ligeiras correções” em 2020, apesar do valor da matéria-prima permanecer estável. De acordo com a Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares (ACIP) é possível assistir-se a “ligeiras correções de preços e, mesmo estas, dependem de caso para caso”.

Também o leite não deverá sofrer alterações de preço no próximo ano. “Não prevemos alterações significativas nos preços dos produtos lácteos no início do ano, uma vez que não há qualquer tipo de regulação oficial do mercado”, disse a Federação Nacional das Cooperativas de Produtores de Leite (Fenalac).

Gás e luz

As tarifas transitórias do gás natural não sofrem em janeiro quaisquer alterações, uma vez que a atualização tarifária só acontece em 1 de outubro para os consumidores que se mantêm no mercado regulado. Já as tarifas de eletricidade no mercado regulado vão descer 0,4% para os consumidores domésticos a partir de 1 de janeiro, de acordo com a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Esta redução de 0,4% representa uma diminuição de 18 cêntimos para uma fatura mensal de 43,9 euros, de acordo com as contas divulgadas pelo regulador.




Conteúdo Recomendado