Nove municípios com 13,5 ME para intervenções no ciclo urbano da água

Na região os municípios contemplados são: Gouveia e Seia, inseridos na bacia hidrográfica da albufeira da Aguieira.

O ministro do Ambiente anuncia sexta-feira, em Mondim de Basto, um financiamento de 13,5 milhões de euros para reforçar e melhorar as redes de abastecimento de água e de saneamento de nove municípios.

Segundo informou hoje o ministério liderado por João Pedro Matos Fernandes, a verba destina-se à concretização de um plano de requalificação e ampliação dos sistemas de abastecimento de água e de drenagem e tratamento de águas residuais urbanas.

O financiamento de 13,5 milhões de euros, que é dirigido a intervenções no ciclo urbano da água, será aplicado em nove concelhos do Norte e Centro do país.

No Norte, abrange os municípios Amarante, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Mondim de Basto e Ribeira de Pena, na bacia hidrográfica da albufeira do Torrão.

No Centro, a verba é destinada a Gouveia, Mangualde, Nelas e Seia, inseridos na bacia hidrográfica da albufeira da Aguieira.

Estas são, segundo o ministério, consideradas “zonas sensíveis” no que se refere à descarga de águas residuais urbanas.
Por isso mesmo, o plano permitirá “a resolução de problemas de qualidade da água de abastecimento e de poluição urbana de massas de água e viabilizará ainda o fecho de sistemas de saneamento de águas residuais”.

O presidente da Câmara de Mondim de Basto, Humberto Cerqueira, afirmou à agência Lusa que os municípios poderão manifestar as suas intenções de candidatura a este programa até dezembro e que a comparticipação comunitária é de 85%.

“Em Mondim de Basto iremos sobretudo melhorar a rede de abastecimento de água e de saneamento. Nós não estamos integrados em nenhuma empresa multimunicipal e, portanto, terá que ser a câmara a assegurar o reforço da rede de saneamento e, no caso da água, a melhoria do sistema de abastecimento”, salientou o autarca socialista.

O presidente referiu que a “taxa de saneamento no concelho está aquém” do que gostaria e, por isso, considerou que estas são obras prioritária.

A nível do abastecimento de água exemplificou que serão melhorados alguns pontos de captação e a rede, pretendendo-se ainda uma diminuição do número de avarias e de falhas de água.

A cerimónia, que decorre na sexta-feira, será presidida pelo ministro João Pedro Matos Fernandes e conta ainda com a participação da presidente da comissão diretiva do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR), Helena Azevedo.
 




Conteúdo Recomendado