Nasceu a marca “Serra da Estrela” para promover o que o território tem de “muito bom”

Do património natural e gastronomia à cultura e eventos, a marca torna-se oficial e será utilizada por 15 municípios na sua promoção turística.

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) vai lançar a marca “Serra da Estrela” para promover o território de forma organizada junto dos operadores turísticos, foi ontem anunciado.


“O objectivo é ter a oferta sistematizada e organizada, para podermos promovê-la, para a podermos transportar para junto dos operadores turísticos para capitalizarmos a vinda de mais turistas, de mais público, para estes territórios, sob esse chapéu da marca Serra da Estrela”, disse à agência Lusa o presidente da CIM-BSE, Luís Tadeu.


A apresentação oficial decorreu ontem, em Lisboa, numa sessão que contou com a presença da ministra da Coesão territorial, Ana Abrunhosa, entre outros responsáveis.


Luís Tadeu referiu que a marca vai passar a ser o “chapéu” de promoção turística da CIM-BSE junto dos operadores do sector.


“A Comunidade Intermunicipal pretende apresentar, de uma forma organizada e sistematizada, um produto turístico que reúna um conjunto diverso de ingredientes, desde o património natural, à parte cultural, aos eventos, à gastronomia, enfim, a tudo aquilo de muito rico e de muito bom que temos no nosso território dos 15 municípios, sob a bandeira da marca ‘Serra da Estrela’ enquanto marca ícone deste território”, referiu.


A marca abrange todo o território da CIM-BSE e “será trabalhada como chapéu de todo o conjunto de ações e de iniciativas que vão decorrer e já decorrem”.


“É uma forma de organizadamente fazermos a promoção de todos esses eventos e ao promovermos os eventos estamos a promover, obviamente, o território”, sublinhou.


A CIM-BSE, com sede na Guarda, é constituída por 15 municípios: 12 do distrito da Guarda (Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Guarda, Gouveia, Manteigas, Meda, Pinhel, Seia, Sabugal e Trancoso) e três do distrito de Castelo Branco (Belmonte, Covilhã e Fundão).


Luís Tadeu disse à Lusa que a partir de terça-feira a marca ‘Serra da Estrela’ e “todos os elementos que lhe estão associados” serão “bandeira obrigatória na promoção de todos os eventos, em articulação com todos os agentes ligados à área do turismo, para a promoção do território e dos eventos que ele encerra e das riquezas próprias”.


A marca será promovida na próxima semana na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), indicou o autarca, que também é presidente do município de Gouveia, no distrito da Guarda.


A CIM-BSE refere em comunicado que a marca “Serra da Estrela” tem como objetivo “construir uma identidade e linha de comunicação agregadora”, que permita, ao mesmo tempo, “potenciar a sub-região como um todo e promover o património natural e cultural único existente, assim como potenciar o crescimento de fluxos turísticos no país”.

“Neste sentido, criou-se uma identidade simples, atual e dinâmica, que capitaliza diretamente os valores e o espírito do território convidando à descoberta deste destino em estado puro, 365 dias por ano – 366, se o ano for bissexto”, explica.



Conteúdo Recomendado