Não há concelhos em risco extremo, 37 com zero casos e matriz no ‘verde’

Segundo a distribuição geográfica, a situação mais crítica verifica-se nos concelhos do Funchal (915), Machico (606), Ponta do Sol (570), Alcoutim (556) e Santa Cruz (548).

O relatório epidemiológico da DGS divulgado esta segunda-feira atualiza a informação sobre a evolução da Covid-19 nos vários concelhos do país, bem como o índice de transmissão.


O boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado esta segunda-feira revela que, uma semana depois de ter arrancado o plano de desconfinamento, não há concelhos em risco extremo. A matriz de risco, que vai guiar o plano de retoma, mostra que Portugal continua no verde.

De sublinhar também que há 37 concelhos com uma incidência de zero casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, acima dos 35 da semana passada, de acordo com o boletim, ao qual pode aceder aqui e consultar o estado do seu concelho (páginas 4, 5 e 6).

Segundo a distribuição geográfica, a situação mais crítica verifica-se nos concelhos do Funchal (915), Machico (606), Ponta do Sol (570), Alcoutim (556) e Santa Cruz (548).

Ainda assim, os dados referentes aos concelhos da Madeira “devem ser interpretados atendendo ao atraso entre diagnóstico e notificação verificado no período em análise”, alerta a DGS.

Portugal registou hoje 16 mortes relacionadas com a Covid-19 e 248 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a DGS. De acordo com o relatório da situação epidemiológica da DGS, o número de doentes internados em enfermaria subiu para 771, mais seis do que no domingo. Nas unidades de cuidados intensivos (UCI) estão 165 doentes internados, menos cinco face à véspera.

O primeiro-ministro, António Costa, advertiu, no domingo, que o futuro em termos de desconfinamento depende da forma como os cidadãos gerirem as próximas semanas e que esta não á altura para “facilitismos” em relação à Covid-19.

“Não é altura de facilitismos ou de andar a dizer que o sol está maravilhoso e vamos todos aproveitá-lo, porque o vírus continua a andar por aí”, avisou, antes de fazer uma alusão à situação epidemiológica de vários países europeus.

Depois da primeira fase, há uma semana, o plano de desconfinamento prevê novas fases de reabertura a 5, 19 de abril e 3 de maio, mas as medidas podem ser revistas se Portugal ultrapassar os 120 novos casos de infeção pelo novo coronavírus por dia por 100 mil habitantes a 14 dias, ou, ainda, se o índice de transmissibilidade (Rt) do vírus SARS-CoV-2 ultrapassar 1.

Semáforo revela que seguimos no ‘verde’

Esta segunda-feira, o relatório da DGS vem também acompanhado da matriz de risco, que servirá de ‘bússola’ para o plano de desconfinamento. Atualmente, os dados revelam que Portugal está no ‘verde’.

A incidência em Portugal está em 81,3 casos de infeção por Covid-19 por 100.000 habitantes. No continente a incidência é de 70,3casos de infeção por SARS-CoV-2 por 100.000 habitantes.

O R(t) de Portugal está nos 0,89 e no continente nos 0,88, uma ligeira subida face à última atualização no dia 19 (0,86 e 0,84 respetivamente).

Em termos acumulados, o país totaliza 16.784 óbitos e 817.778 casos da Covid-19 desde o início da pandemia.



Conteúdo Recomendado