Município de Almeida com orçamento de 16,1 milhões de euros para 2021

Dos vários projetos previstos para este ano, o autarca destaca a candidatura de Almeida a Património da Humanidade (inserida na candidatura das Fortalezas Abaluartadas da Raia).

A Câmara Municipal de Almeida, no distrito da Guarda, tem um orçamento para 2021 no valor de 16,1 milhões de euros, que contempla projetos a realizar com apoio de fundos comunitários e contratos-programa.

O orçamento, que é superior ao de 2020, que foi no valor de 14,7 milhões de euros, foi aprovado por maioria pelo executivo municipal presidido pelo autarca social-democrata António José Machado e pela Assembleia Municipal.

Segundo o autarca, o município de Almeida “tem na sua capacidade direta de intervenção em despesa de capital um montante muito limitado”, “não permitindo ter capacidade para implementar todos os projetos sem contar com os fundos comunitários, contratos-programa e com o saldo de gerência para melhorar a dotação de alguns projetos”.

“Este orçamento continua na linha estratégica com a qual nos candidatámos, apostando em projetos que têm merecido um apoio amplo dos intervenientes políticos”, aponta António José Machado.

Dos vários projetos previstos para este ano, o autarca destaca a candidatura de Almeida a Património da Humanidade (inserida na candidatura das Fortalezas Abaluartadas da Raia), a requalificação do Parque TIR de Vilar Formoso e a ligação à autoestrada A25/A62 (Espanha), e o Plano de Valorização dos Recursos Hídricos do Rio Côa.

No texto introdutório do documento, o presidente do município de Almeida, localizado junto da fronteira com Espanha, refere que este ano será dada continuidade à estratégia da Carta Europeia de Turismo Sustentável, em colaboração com os municípios vizinhos de Sabugal (Guarda) e Penamacor (Castelo Branco), e espera, após a aprovação dos estatutos pelos órgãos municipais, que a Eurocidade “Porta da Europa” inicie a sua atividade.

António José Machado sublinha que são também “projetos essenciais” os integrados no Plano Estratégico para a Requalificação Urbana, Cultural e Turística de Vilar Formoso, “assim como todos os que possam ser inseridos e aprovados na estratégia comum e desenvolvimento transfronteiriço aprovada pelo Governo, que tem de passar das palavras à dotação financeira e possibilidade de candidaturas reais”.

Este ano, a autarquia também dará continuidade ao programa de apoio ao comércio, restauração e hotelaria “Manter Aberto” (com uma verba superior a 260 mil euros), para “minimizar os efeitos drásticos” que a pandemia de covid-19 “está a provocar em todo o tecido empresarial, reduzindo a confiança dos empreendedores e investidores”.

Ainda de acordo com o responsável, o município de Almeida mantém “os investimentos já realizados na melhoria da mobilidade e de oferta dos transportes públicos no concelho, com o projeto ‘Estrela da Paz’”.

A Câmara Municipal de Almeida também tenciona iniciar projetos relacionados com o abastecimento de água e saneamento básico e continuar a apostar em políticas de descentralização nas Freguesias, Uniões e Associações de Freguesias.



Conteúdo Recomendado