Município da Guarda compra terrenos para ampliação da zona industrial

O município da Guarda decidiu esta segunda-feira investir 350 mil euros na aquisição de terrenos para ampliação da zona industrial, incluindo o antigo campo de futebol António dos Santos, comprado em 2015 por um privado em hasta pública.

Segundo o presidente da autarquia, Carlos Chaves Monteiro, o executivo deliberou esta segunda-feira, por maioria, adquirir três terrenos, com uma área total de 33 mil metros quadrados, pelo valor global de 350 mil euros, para instalação de “novas empresas ou ampliação das existentes” no parque industrial da cidade.

O autarca, que falava aos jornalistas numa conferência de imprensa através de videoconferência, realizada no final da reunião quinzenal camarária, explicou que foi decidido adquirir três terrenos, incluindo o antigo campo de futebol António dos Santos, que pertenceu ao Mileu Guarda Sport Clube e que foi a hasta pública devido a uma dívida do clube.

O equipamento foi adquirido por um particular numa hasta pública realizada em 2015, que também foi pretendida pelo município.

Na altura, a autarquia, então presidida por Álvaro Amaro, apresentou uma proposta de 50 mil euros, que foi superior àquela que venceu, no valor de 40.001 euros, o que motivou a apresentação de uma contestação junto da Autoridade Tributária, que não teve sucesso.

O atual presidente do município da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, referiu aos jornalistas que, “tristemente”, a autarquia vai comprar agora o antigo campo de futebol do Mileu pelo valor de 120 mil euros, que foi comprado por um particular por 40 mil euros.

O Estado “permitiu que o terreno fosse para um privado por um preço mais baixo”, lamentou.

Carlos Chaves Monteiro adiantou que a Câmara Municipal da Guarda “pretende dar o melhor destino ao espaço” cuja utilização deverá ser alterada no âmbito do Plano Diretor Municipal que está em fase de revisão.

No Parque Industrial da Guarda, que é servido pela Via de Cintura Externa (VICEG), estão instaladas várias empresas e a sede do NERGA – Associação Empresarial da Região da Guarda.

A cidade mais alta do país possui também uma Plataforma Logística de Iniciativa Empresarial, localizada próximo da localidade de Gata, que está inserida na Rede Nacional de Plataformas Logísticas.



Conteúdo Recomendado