Habitantes do Sabugal com “boa aceitação” para a limpeza dos terrenos

Os habitantes do concelho do Sabugal estão recetivos às operações de limpeza dos terrenos e são os próprios que já contactam os serviços municipais em caso de dúvidas, disse à agência Lusa fonte da autarquia.

“Já não é preciso, por vezes, ir ter com as pessoas. Já são as pessoas que vêm ter connosco [Câmara Municipal]”, disse Vítor Proença, vice-presidente da Câmara Municipal do Sabugal, no distrito da Guarda.

De acordo com o autarca, os munícipes recorrem aos serviços da autarquia a quem pedem orientações, nomeadamente “quando acontece que têm árvores de algum porte junto às habitações” e questionam se têm de as cortar ou apenas de as desramar.

Segundo Vítor Proença “tem havido uma boa aceitação e as pessoas estão sensíveis” à questão da limpeza dos terrenos em redor das habitações e dos aglomerados populacionais, também “com uma boa ajuda das Juntas de Freguesia”.

No concelho do Sabugal, onde existem 22 freguesias consideradas áreas prioritárias pelo Governo, “tem-se notado que as pessoas estão muito mais sensíveis do que estavam” em 2018, observa o responsável.

Em relação às operações de limpeza nas freguesias, o vice-presidente da autarquia referiu que, em colaboração com as Juntas, a Proteção Civil Municipal e a GNR, foi definido um calendário de sensibilização das populações, que decorre até ao dia 29.

“A nota que tenho tido é a de que tem havido boa aceitação e boa compreensão por parte das pessoas”, disse.

Segue-se outra ação no terreno com a GNR a identificar os pontos mais críticos e que, no seguimento dos trabalhos de limpeza realizados em 2018, necessitam de nova intervenção.

O responsável aponta que o Sabugal tem o problema de ter muitas pessoas emigradas, mas as entidades têm recorrido a familiares e, “com um pouco de paciência e de insistência”, tem-se conseguido “resolver as coisas pela via do diálogo”.

Segundo Vítor Proença, em 2018 apenas ficaram por limpar casos “muito pontuais” em que não se conseguiu apurar a titularidade dos terrenos, mas as Juntas de Freguesia e o município resolveram as situações.

Nesse ano, a Câmara Municipal do Sabugal “não se substituiu a nenhum proprietário”, tendo resolvido as situações em estreita colaboração com as Juntas e com os Sapadores Florestais.

Em 2018, o município viu também aprovadas duas candidaturas para limpeza de faixas junto das vias rodoviárias, no montante global de 389 mil euros.

“Um [dos projetos] já está praticamente executado e o outro vai acabar a 31 de março”, indicou.

Entretanto, o município apresentou uma candidatura, no valor de cerca de 600 mil euros, que, a ser aprovada, permitirá “fechar a malha” relacionada com a limpeza das referidas faixas de intervenção.

Em termos globais, o vice-presidente da autarquia considera que, no tocante à limpeza dos terrenos por parte dos privados e do município, a situação está “controlada”.

“É uma área muito extensa, mas com a situação que já veio do ano passado, creio que as coisas, este ano, estão controladas”, concluiu.




Conteúdo Recomendado