Guarda inaugura investimento de 10,5 ME em infraestruturas de energia e comunicações

O investimento foi efetuado no âmbito do projeto da empresa de telecomunicações referente ao Maciço Central, que cobre vários municípios.

O secretário de Estado da Energia, João Galamba, inaugurou ontem, na Plataforma Logística da Guarda, novas infraestruturas de energia e de comunicações, que representam um investimento 10,5 milhões de euros e promovem a coesão territorial.

A cerimónia começou com a inauguração da subestação da Guarda da EDP, em Casal de Cinza, que também inclui as novas linhas elétricas de alta e média tensão, num investimento global de 10,5 milhões de euros.

A nova subestação corresponde a um investimento de 4,7 milhões de euros e a rede de alta tensão envolvente à subestação é comparticipada pelos produtores em regime especial no valor de 5,8 milhões de euros.

Foi também inaugurada a infraestrutura de fibra ótica da Altice Portugal, que possibilitará o aumento da velocidade de transmissão da informação digital à zona da Plataforma Logística da Guarda e da Freguesia de Casal de Cinza.

O investimento foi efetuado no âmbito do projeto da empresa de telecomunicações referente ao Maciço Central, que cobre vários municípios num total de aproximadamente 70% de rede de fibra ótica.

O secretário de Estado da Energia, João Galamba, disse no seu discurso que “os avultados investimentos” hoje inaugurados na Guarda “envolvem-se de importância nacional e regional, na medida em que promovem a coesão territorial, através de novas oportunidades de desenvolvimento socioeconómico” do concelho.

Disse que representam também “um apoio às unidades industriais” e mostram que “se pode contrariar uma tendência de declínio de investimento no interior”.

Para o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, os investimentos são importantes para a Plataforma Logística local, pois nos dias de hoje é impossível imaginar empresas que não possam ser alimentadas com gás natural ou que não possam ter fibra ótica para as telecomunicações.

“É o passo definitivo para que a Plataforma Logística da Guarda” se afirme no plano ibérico, reconheceu o autarca, em declarações aos jornalistas.

Segundo Álvaro Amaro, a Plataforma Logística tem atualmente uma taxa de ocupação “de mais de 80%” da sua capacidade e investimentos realizados e projetados “que geram mais de 500 postos de trabalho ou à volta de mais 70 novas empresas”.

A Câmara Municipal da Guarda celebrou também hoje um protocolo com a MEO e a EDP para a substituição de antenas de comunicações junto da Torre de Menagem e outro com a empresa Beiragás que prevê a integração de rede de gás natural nos loteamentos, parques industriais e na Plataforma Logística.



Fotogaleria


Conteúdo Recomendado