Governo anuncia redução de portagens em sete autoestradas do interior

Medida entra em vigor no terceiro trimestre.

“Vamos conseguir implementar no terceiro trimestre deste ano um sistema de redução de portagens, privilegiando as portagens do interior. É um desconto de quantidades, que privilegia os utilizadores frequentes, quer sejam residentes quer trabalhem nestes territórios ou que os visitem regularmente”, avança a Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

“Nos primeiros sete dias as portagens são pagas, para, depois, entre o oitavo e o décimo quinto dia, todas as passagens beneficiarem de 20% de desconto. A partir do décimo sexto dia até ao final do mês de calendário, todas as passagens beneficiam de 40% de desconto”, explica Ana Abrunhosa.

“Se for um utilizador frequente, que use diariamente estas autoestradas, vai ter um desconto médio de 25%”, sublinha.

De acordo com a responsável pela pasta da Coesão Territorial, um veículo de Classe 1, que faz todos os dias a A23 para trabalhar, pode poupar mais de 1.200 euros por ano.

A ministra dá o exemplo da viagem entre a Covilhã e Castelo Branco: “Hoje, de Castelo Branco à Covilhã, usando a A23, pagaria por viagem €6,71. No final do mês, pagaria €422,00. Com este desconto, que seria de 25%, pagaria menos €102,00 ao final do mês, o que significaria que pagaria menos €1.224,00 ao final do ano.”

“Até num troço que não é muito grande, porque a A23 é muito mais extensa, mas usando o exemplo da vida real, estamos a falar de desconto com um impacto no rendimento disponível das famílias”, sustenta.

O desconto de quantidade é apenas para os veículos de Classe 1 e Classe 2, que não sejam considerados veículos de transporte, mas inclui, por exemplo, “as carrinhas de venda de pão, carrinhas que normalmente aqueles pequenos empresários, neste território, usam”.

“Vão ter o mesmo tratamento, vão ter o mesmo desconto que os veículos de Classe 1. O objetivo é que no fim do mês as famílias sintam no bolso os descontos”, avança a ministra.

O modelo de desconto das portagens contempla também os veículos de transportes de mercadorias e é alargado aos veículos de transporte de passageiros.

“Aumentamos o desconto que já tínhamos para o transporte de mercadorias, que no passado era de 30% de dia e 50% à noite. Aumentamos para 35% de dia e 55% à noite e alargamos esta medida ao transporte de passageiros. Ou seja, no passado, esta medida era para apoiar apenas o transporte de mercadorias e estamos a alargar ao transporte de passageiros, para fomentar o uso dos transportes coletivos também nestes territórios”, avança Ana Abrunhosa.

Questionada pela Rádio Renascença sobre se a medida responde às reivindicações das populações, a ministra sublinha que “privilegia o uso frequente destas vias e, portanto, esta proposta vai ao encontro das reivindicações”.

A ministra da Coesão Territorial afirma que “maioritariamente estamos a falar de vias do interior que antes da Troika não tinham portagem” e que “é legítimo que as populações que são servidas por estas vias, queiram a redução e a anulação das portagens”.

“Mas, para que esta medida seja sustentável, nós temos que ir reduzindo gradualmente. A nossa proposta é, no futuro, à medida que o nosso orçamento do Estado consiga acolher, que consigamos trabalhar nesta redução para garantirmos que, de facto, as pessoas têm melhor qualidade de vida neste territórios e estamos naturalmente a privilegiar os territórios do interior, como está no programa do Governo e como ficou inscrito no Orçamento do Estado”, concluiu a governante.

A vias beneficiadas com a redução são: a A22-Algarve, A23-IP, A23-Beira Interior, A24-Interior Norte, A25-Beiras Litoral e Alta, A28-Norte Litoral, A4-Subconcessão AE transmontana, A4-Túnel do Marão, A13 e A13-1 – Subconcessão Pinhal Interior.

Esta é uma das medidas que o Governo vai levar para o Conselho de Ministros em Bragança e que já tinha sido anunciada por Ana Abrunhosa na Assembleia da República, a 24 de janeiro.

O novo modelo de desconto das portagens para o interior do país prevê descontos para quem vive, para quem trabalha e para quem lá for de visita ao fim de semana.

Três Ministérios – Coesão Territorial, Infraestruturas e Finanças – estudaram estes novos descontos nas portagens.

Ligação Covilhã-Castelo Branco Fonte: Ministério da Coesão Territorial


Conteúdo Recomendado