Freguesia do concelho de Fornos de Algodres tem viatura equipada com desfibrilhador

A Junta de Freguesia de Figueiró da Granja, no concelho de Fornos de Algodres, possui uma viatura equipada com um Desfibrilhador Automático Externo (DAE) para dar resposta a eventuais casos de emergência, foi hoje anunciado.

O presidente da Junta de Freguesia de Figueiró da Granja, Álvaro Santos, disse hoje à agência Lusa que a viatura entrou ao serviço na quinta-feira, no âmbito do projeto Desfibrilhador Operacional Conectado DOC+Vida.

“Temos a viatura com licença móvel. Pouca gente conseguiu – tirando os bombeiros, claro, e os veículos de Emergência Médica -, ter um carro onde possa ter o equipamento, no caso, por exemplo, de haver um evento, festas ou outras situações de acidentes que sejam em propriedades agrícolas e tenha que se deslocar o desfibrilhador”, disse.

De acordo com o autarca, a viatura está preparada para prestar assistência móvel com o DAE, pois “tem a licença e o registo na Cruz Vermelha e no INEM – Instituto Nacional de Emergência Médica”.

Neste momento, o desfibrilhador da Junta de Freguesia de Figueiró da Granja pode ser operado por seis pessoas que receberam formação específica.

“Fizemos formação para seis operadores, incluindo eu também, que estão, neste momento, aptos a operar com o equipamento”, disse Álvaro Santos.

O equipamento funciona com teleassistência e pode ser deslocado “para qualquer parte”, embora também tenha a versão fixa na sede da Junta de Freguesia.

Com o seu funcionamento, a autarquia tem um encargo mensal de 48 euros, por estar ligado ao INEM e ser teleassistido por aquele instituto.

O DAE é para servir a Freguesia de Figueiró da Granja, que adotou o lema de “Freguesia cardioprotegida”, mas o autarca garante que está disponível para operar fora do seu território “sempre que alguém precisar”.

As seis pessoas que operam o equipamento estão “sempre presentes” na localidade e podem atuar “sempre que for preciso”, disse.

A Junta fez um protocolo com a Liga dos Amigos de Figueiró da Granja que gere um Lar de Idosos e um Centro de Dia e já fez demonstrações para os alunos da escola e do jardim-de-infância locais.

Álvaro Santos referiu à Lusa que o interesse da autarquia em possuir um DAE surgiu por os problemas cardíacos serem “a segunda causa de morte em Portugal” e por, recentemente, ter havido um caso de paragem cardiorrespiratória na localidade.

A aldeia de Figueiró da Granja dista sete quilómetros da vila de Fornos de Algodres mas, de acordo com o autarca, os bombeiros nunca demoram menos de dez minutos a chegar e, numa situação de paragem cardiorrespiratória, é “muito difícil conseguir recuperar uma pessoa”.

A carrinha utilizada para transportar o DAE foi oferecida à Junta de Freguesia, que gastou cerca de 800 euros na sua recuperação e adaptação.

O desfibrilhador foi oferecido pelo médico João Almeida, de Coimbra, que tem ligações familiares a Figueiró da Granja.



Conteúdo Recomendado