Fornos BioDiversity Festival

A iniciativa realiza-se na praia fluvial, Ponte de Juncais, nos dias 30 de junho, 1 e 2 de julho.

A iniciativa surge com muitas iniciativas, nomeadamente, LanDart, Narciso do Mondego World Music, seminário ambiental, espetáculos musicais e muitas novidades. O Município de Vouzela, Aspiring Geopark Estrela, Parque Biológico Serra Lousã e a Associação BioLiving são algumas das entidades que irão participar neste evento.

Segundo a organização, levada a cabo pelo Município de Fornos de Algodres e ADIRAM – Associação para o Desenvolvimento Integrado da Rede de Aldeias de Montanha “a primeira edição do Fornos BioDiversity Festival, é um convite para uma viagem com vários ateliers e seminários, pelos saberes, sabores e tradições celtas. A animação tem vários momentos e espetáculos musicais.”

O primeiro dia terá como convidada a artista Patrícia Oliveira com uma aula aberta para os mais novos, onde de seguida irá apresentar a sua intervenção escultórica pelo método Landart. Na noite de sexta-feira a irá atuar a banda Os Red e um dos melhores djs nacionais no final da noite, o DJ Overule.

O segundo dia começa bem cedo com o seminário “Educação Ambiental” no Centro Cultural Dr. António Menano, com participações de várias instituições.

O acampamento abre ao início da tarde com a passagem de vários animais pelo recinto para um contacto mais próximo do público. A meio da tarde, os visitantes poderão conhecer o ofício do vidro, da olaria e da tecelagem ou ainda experimentar os jogos tradicionais celtas. A finalizar a tarde “O Lobo e os Celtas” e “A história da falcoaria ao longo dos tempos” com voo livre de águia. Pausa para repor energias nas tabernas. O início da noite é de narração da lenda de três elementos “A terra, o Ar e a Água” e ainda a encenação do culto ao Deus Bandua, seguindo-se a atuação de Albaluna e Archyback. O fecho da noite será feito pelo DJ The Boss.

O último dia do Biodiversity Festival tem o seu ponto alto a meio da tarde com dois espectáculos musicais a não perder com os Alanos e os Tranglomango. As portas do acampamento abrem ao meio dia e nada melhor que começar a viagem com um apetitoso almoço nas tabernas. As atividades desta tarde começam com a passagem de vários animais pelo recinto para um contacto mais próximo do público, seguidamente poderá conhecer o ofício do vidro, da olaria e da tecelagem ou ainda experimentar os jogos tradicionais celtas.



Conteúdo Recomendado