Federação da Guarda remete para Seguro alegado transporte de votantes nas primárias

https://www.google.pt/search?q=antonio+jose+seguro&biw=1600&bih=789&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=XXsJVIKeDondapqCgmA&ved=0CAYQ_AUoAQ#facrc=_&imgdii=_&imgrc=3ia282S39WH4AM%253A%3BW6NYROQ-3fc7LM%3Bhttp%253A%252F%252Fwww.radiocampanario.com%252Fr%252Fimages%252Fpolitica%252Fseguro_1_0.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fwww.radiocampanario.com%252Fr%252Findex.php%252Flocal%252F996-antonio-jose-seguro-sabado-em-vila-vicosa%3B610%3B401

A Federação Distrital do PS/Guarda enjeitou hoje responsabilidades na alegada disponibilização de autocarros para transporte de votantes para as eleições primárias socialistas no distrito, remetendo o assunto para a candidatura de António José Seguro.

Contactado hoje pela agência Lusa, o presidente da Federação do PS da Guarda, José Albano Marques disse que os autocarros não foram alugados por aquela estrutura nem pela concelhia de Vila Nova de Foz Côa, tendo remetido o assunto, para análise, para a candidatura de António José Seguro.

Três elementos da concelhia socialista de Vila Nova de Foz Côa demitiram-se devido ao alegado transporte de apoiantes de António José Seguro para votarem nas eleições primárias do dia 28 de setembro.

Segundo os demissionários, naquele concelho do distrito da Guarda o ato eleitoral “ficou marcado pela participação de um número inaudito de militantes e simpatizantes de várias freguesias do concelho, transportados gratuitamente em vários autocarros, aparentemente arregimentados por representantes da candidatura do camarada António José Seguro”.

Os socialistas de Foz Côa Bruno Navarro, Joaquim Félix e Maria Bouwman apresentaram a demissão de membros do secretariado da secção concelhia local em carta enviada ao presidente daquela estrutura partidária.

No documento, alegam não pretenderem ver o seu nome “associado a eventuais expedientes eleitoralistas” e a uma “manifesta desconsideração pelas regras democráticas”.

De acordo com o presidente da Federação socialista da Guarda, a situação exposta pelos três socialistas demissionários “não tem fundamento” e lamenta que após a realização de eleições surjam episódios desta natureza que “dividem o partido”.

“Se o presidente da Federação [do PS da Guarda] já disse que não há pagamento [dos autocarros] por parte da Federação nem das concelhias, é um assunto que está morto”, afirmou José Albano Marques.

A federação da Guarda foi a única onde a candidatura de António José Seguro obteve a vitória nas eleições primárias, com 61,2% dos votos, tendo António Costa registado 38,03%.

Na secção de Vila Nova de Foz Côa, a candidatura de António José Seguro registou 527 votos (88,42%) e a de António Costa 61 votos (10,23%).



Conteúdo Recomendado