Famílias começaram 2015 a consumir em vez de poupar

Programas eleitorais prevêem devolução de rendimentos nos próximos anos. Economistas admitem que há riscos de nova redução da taxa de poupança.

Os portugueses canalizaram o aumento de rendimento para o consumo em vez de o guardarem. A taxa de poupança das famílias recuou para 6,8% do rendimento disponível nos primeiros três meses deste ano, um registo que só encontra paralelo com o que foi observado logo a seguir à falência do Lehman Brothers, em 2008. Os economistas admitem que este comportamento pode levar a mais decidas da taxa de poupança no futuro, tendo em conta que tanto a coligação como o PS prevêem que a reposição de rendimentos vai continuar na próxima legislatura.



Conteúdo Recomendado