Fábrica de Pinhel importa amêndoas dos Estados Unidos devido à fraca produção nacional

Ministro da Agricultura visitou empresa de transformação e comercialização de frutos secos A empresa PABI – Indústria de Transformação e Comercialização de Frutos Secos e seus derivados, instalada na Zona Industrial de Pinhel, importa matéria-prima dos Estados Unidos, para poder laborar durante todo o ano.O administrador Nuno Ferreira, que na sexta-feira, 7 de Novembro, recebeu […]

Ministro da Agricultura visitou empresa de transformação e comercialização de frutos secos

A empresa PABI – Indústria de Transformação e Comercialização de Frutos Secos e seus derivados, instalada na Zona Industrial de Pinhel, importa matéria-prima dos Estados Unidos, para poder laborar durante todo o ano.
O administrador Nuno Ferreira, que na sexta-feira, 7 de Novembro, recebeu a visita do Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, referiu ao Jornal A Guarda que a unidade absorve a produção de amêndoa da região e tem que importar amêndoas para assegurar o seu funcionamento. Razão que, já por várias vezes, levou o responsável a reforçar a ideia de que a plantação de amendoeiras deve ser incentivada porque, “Portugal é deficitário na produção deste fruto seco, tendo de recorrer a importações”. Nuno Ferreira, disse que no caso da sua empresa, existem dificuldades, não na comercialização dos produtos, mas antes na obtenção de matéria-prima “devido à falta de quantidade”, sendo que labora cerca de 10% de amêndoa nacional e 90% internacional.

A fábrica tem um volume anual de negócios de 5,5 milhões de euros e nos últimos anos tem investido entre 200 a 300 mil euros na sua actualização tecnológica. Como grande desafio, o administrador aponta a construção de uma britadeira destinada a retirar a casca à amêndoa nacional “porque aquela que vem de fora já vem sem casca”. O equipamento representa um investimento de 1,6 milhões de euros, o respectivo projecto já está elaborado e vai ser candidatado ao PRODER – Programa de Desenvolvimento Rural.

A unidade fabril possui 16 trabalhadores, existe desde 1989 mas a denominação PABI só surgiu em 1994. Tem uma equipa de trabalho com mais de 18 anos de experiência, que se divide em 6 sectores: administração, departamento administrativo e contabilístico, departamento comercial, departamento de gestão de produção e controlo de qualidade, secção de logística e produção.
A PABI dedica-se à transformação e comercialização de amêndoas e seus derivados mas também comercializa produtos como noz, sultanas, coco e crocante de amendoim. “Porém, o seu maior volume de vendas centra-se na amêndoa e seus derivados”, refere Nuno Ferreira, adiantando que comercializa amêndoa em casca, miolo de amêndoa com pele, miolo de amêndoa sem pele, miolo de amêndoa palitado, miolo de amêndoa granulado sem pele, miolo de amêndoa granulado com pele, miolo de amêndoa moído com pele e miolo de amêndoa moído sem pele.

Amêndoa tem benefícios para a saúde

A amêndoa tem benefícios para a saúde, sendo um fruto rico em gordura natural, fósforo, ferro, cálcio e vitaminas do complexo A, B1, B2 e E.
Quando consumida regularmente combate a azia, é aconselhável para problemas hepáticos, de nutrição e infecções intestinais, previne acidentes cardiovasculares e reduz o risco de cancro de cólon.

A amendoeira faz parte da cultura tradicional mediterrânica e, em Portugal, a maior predominância regista-se no Alto Douro, Trás-os-Montes e no Algarve. No Distrito da Guarda, a sua produção é mais significativa nos concelhos de Vila Nova de Foz Côa e Figueira de Castelo Rodrigo.

 




Conteúdo Recomendado