Empresa de doces e licores investe 650 mil euros em novas instalações

A empresa de doces e licores “Sabores da Gardunha”, no Fundão, investiu 650 mil euros em novas instalações e aumentou a capacidade máxima de produção de 2.500 frascos por dia para 4.000 frascos por hora.

“Agora, nos doces, a capacidade máxima anda nos 4.000 frascos por hora. Portanto, se quisermos trabalhar em três turnos e considerando 20 horas, conseguimos 80.000 frascos por dia”, explicou o gerente da empresa, Paulo Ribeiro, na inauguração, no domingo.

Situadas na Zona Industrial do Fundão, as novas instalações apresentam maior capacidade de resposta, visto que foi feita uma “reformulação completa” das componentes industriais, designadamente nos processos de embalamento, tamponamento e rotulagem, que passam a ser feitos de forma automática.

Já a confeção dos doces mantém o método tradicional com que a marca conquistou o mercado, referiu Paulo Ribeiro.

Na matéria-prima também continuará a ser dada primazia aos produtos da Cova da Beira, de onde provém cerca de 90% da fruta ali utilizada, tais como cereja, pêssego, abóbora, pera, maçã e morango.

“Tudo o que são as grandes produções é fruta local e é fruta que nós comprámos fresca e que preparámos aqui para depois termos, no produto final, uma compota digna da ‘Sabores da Gardunha’”, acrescentou.

A fábrica passou de cinco para sete funcionários e este número poderá continuar a crescer à medida que as vendas o justifiquem, sendo que para laborar em três turnos serão necessários cerca 20 trabalhadores.

Além dos doces, “Sabores da Gardunha” tem integrado um entreposto de álcool com capacidade para produzir 800 litros de cerveja artesanal por semana e de cerca 2.000 litros de licor por semana.

Atualmente, a empresa vende para todo o país e já exporta cerca de 70% da produção para mercados como o dos Estados Unidos, Austrália, Reino Unido, Alemanha, Espanha e países nórdicos.




Conteúdo Recomendado