Idanha-a-Nova quer inscrever Mistérios da Páscoa na UNESCO

O Município de Idanha-a-Nova vai apresentar à UNESCO o pedido de inscrição dos Mistérios da Páscoa em Idanha, manifestações de religiosidade popular ligadas ao ciclo quaresmal e pascal, nas melhores práticas de salvaguarda do património cultural imaterial.

A apresentação do Programa para a Salvaguarda e Promoção dos Mistérios da Páscoa em Idanha-a-Nova teve lugar no Salão Nobre da Câmara Municipal, no passado dia 2 de fevereiro, na presença do Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes.

“Os Mistérios da Páscoa em Idanha-a-Nova são um projeto de cultura, um projeto de preservação da história e da memória, e também um projeto de criatividade”, referiu o governante, que transmitiu publicamente o seu apoio.

O presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, explicou que a sustentar este projeto “estão 250 manifestações de piedade popular que acontecem ao longo de 90 dias, desde a Quarta-Feira de Cinzas ao Domingo de Pentecostes, as quais se traduzem numa riqueza cultural muito significativa”.

“Todo o processo tem sido trabalhado em colaboração com as diferentes comunidades locais, até porque têm sido as populações e as instituições as principais responsáveis pela preservação das nossas tradições”, acrescentou Armindo Jacinto.

O trabalho realizado nos últimos anos permitiu, inclusive, recuperar e revitalizar manifestações, passando de 163 em 2009 para 250 em 2016.
Com os Mistérios da Páscoa tem sido potenciada a salvaguarda e valorização do património cultural imaterial de Idanha-a-Nova, colocando-o ao serviço do desenvolvimento sustentado do concelho.

Recorde-se que Idanha-a-Nova é hoje um território UNESCO, cruzando património material e imaterial, que lhe conferem o estatuto de Cidade Criativa da Música, de Reserva da Biosfera e de Geoparque Mundial da UNESCO.




Conteúdo Recomendado