Covid-19: Programa municipal incentiva compras nos estabelecimentos comerciais de Seia

A Câmara Municipal de Seia, no distrito da Guarda, disponibilizou 75 mil euros para um programa de dinamização do comércio local, com o objetivo de minimizar os efeitos negativos da pandemia causada pela covid-19, foi hoje anunciado.

O programa “Compre(em)Seia”, lançado no dia 15 de junho, é promovido pelo município de Seia, em parceria com a Associação Empresarial da Serra da Estrela e a Fundação Aurora Borges (coordenadora do programa CLDS 4G).

A autarquia refere em comunicado enviado à agência Lusa que a iniciativa, que decorre até ao dia 15 de setembro, consiste na atribuição de 3.000 vales de compras no valor de 25 euros, “que representam 75 mil euros no total, para serem utilizados nas 410 empresas de comércio e serviços locais que até agora aderiram ao programa”.

A verba “é alocada na economia local através de vales de compras, que serão atribuídos em cinco sorteios”.

O município realiza hoje, no dia do Feriado Municipal, o primeiro sorteio (com os cupões validados até 30 de junho), a partir das 10:00, com transmissão em direto nas redes sociais.

Os restantes sorteios decorrerão nos dias 24 de julho, 15 de agosto, 04 e 18 de setembro.

Segundo a fonte, por cada 10 euros em compras nos estabelecimento comercias aderentes, o cliente recebe um cupão (até ao máximo de cinco) que o habilita a participar num dos sorteios do programa “Compre(em)Seia”.

“Os cupões são depositados num recetáculo disponibilizado em cada estabelecimento e recolhidos dois dias antes do sorteio”, acrescenta.

Os momentos da extração dos cupões serão transmitidos em direto nas páginas do Facebook e do Instagram do município de Seia e os resultados serão posteriormente divulgados na página oficial da autarquia na internet.

Com o programa “Compre(em)Seia”, o município presidido por Carlos Filipe Camelo procura “dinamizar o comércio/serviços locais, alavancando, por sua vez, o consumo e os rendimentos de empresários e clientes”.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 517 mil mortos e infetou mais de 10,76 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.587 pessoas das 42.782 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

O Governo prevê que a economia recue 6,9% em 2020 e que cresça 4,3% em 2021.

A taxa de desemprego deverá subir para 9,6% este ano, e recuar para 8,7% em 2021.

Em consequência da forte recessão, o défice orçamental deverá chegar aos 6,3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 e a dívida pública aos 134,4%.




Conteúdo Recomendado