Covid-19: Misericórdia de Foz Côa transferiu 11 utentes que testaram positivo

A instituição apela ao voluntariado para ajudar a minimizar os impactos da covid-19.

O provedor da Misericórdia de Foz Côa, no distrito da Guarda, anunciou hoje que 11 utentes que testaram positivo para a covid-19 foram transferidos para um edifício cedido pelo município.

“Já procedemos à transferência de idosos do nosso Lar para as instalações do Centro de Formação agrícola que foram cedidas pelo município”, vincou à Lusa António Morgado.

Segundo provedor, na segunda-feira, durante a manhã, terá início a desinfeção do Lar Nossa Senhora da Veiga, onde se encontram 47 utentes que testaram positivo para a covid-19.

Ao início da manhã de domingo, o provedor da Misericórdia de Foz Côa, fez um apelo “desesperado” ao Governo para que os 47 utentes com covid-19 no lar da instituição sejam retirados e trados em ambiente hospitalar.

O provedor reforça que as pessoas infetadas, com mais ou menos sintomas, são idosos debilitados, que devem ser acompanhadas pelo ministério da Saúde em ambiente hospitalar.

A instituição apela ao voluntariado para ajudar a minimizar os impactos da covid-19, já que mais de metade, dos 30 funcionários (17) testou positivo e encontra-se em quarentena em casa.

“Sem recursos é praticamente impossível tomar conta dos idosos contaminados, seja qual for o grau de evidências do covid-19. Tempos pessoas acamadas com 70, 80 e 90 anos e que necessitam de tratamento diferenciado que nesta altura não podemos dar”, vincou António Morgado.

O provedor disse à Lusa que pediu apoio à equipa de enfermagem do Centro de Saúde local “e que foi recusado”, havendo idosos que necessitam de tratamentos, como fazer pensos.

O responsável disse, ainda, que o plano de contingência da instituição foi acionado no passado dia 12 de março, “muito antes de proliferação do surto da covid-19”

Este lar regista a morte de um idoso de 99 anos e outro está internado num hospital na cidade da Guarda.

O Lar de Idosos da Misericórdia de Vila Nova de Foz Côa, no distrito da Guarda, encontra-se em regime de isolamento.

O primeiro foco de infeção foi registado na quarta-feira.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 119 mortes, mais 19 do que na véspera (+19%), e registaram-se 5.962 casos de infeções confirmadas, mais 792 casos em relação a sábado (+15,3%).

Dos infetados, 486 estão internados, 138 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.




Conteúdo Recomendado