Covid-19: GNR da Guarda apoia e esclarece idosos que vivem sós e isolados

O Comando Territorial da GNR da Guarda está a apoiar, a alertar e a esclarecer os idosos da região, que vivem sozinhos e isolados, sobre a doença Covid-19.

Segundo o major Marco Pina, na atual fase de “alerta”, o Comando Territorial da GNR da Guarda, através dos militares de patrulhamento comunitário, continua a sua missão junto dos idosos, “no sentido de quebrar a solidão sentida”.

“Com os devidos cuidados de distanciamento, este Comando mantém as suas visitas a estes cidadãos mais isolados e carenciados, onde presta todo o apoio necessário, quer de forma direta, quer através do estabelecimento de contactos e sinalizações junto de outras estruturas de apoio social, como por exemplo Câmaras Municipais ou Segurança Social”, disse hoje à agência Lusa o oficial de relações públicas da GNR da Guarda.

Numa altura em que os idosos são aconselhados a permanecer em casa, acabando por ficar “ainda mais isolados”, devido ao encerramento de instituições e de estabelecimentos comerciais e à não realização de feiras e de mercados, “importa perceber quais são as suas necessidades e as suas dificuldades”, disse Marco Pina.

“É este trabalho que a GNR continua a fazer junto dos idosos, neste período”, sublinhou.

Nas visitas aos idosos que vivem sós e isolados, os militares da GNR também informam sobre os cuidados que devem ter para evitar contágios pelo Covid-19, assim como alterações legislativas que foram, entretanto, produzidas, bem como “prevenir algumas tentativas de burlas e furtos que possam ser levadas a cabo, também com o pretexto do vírus Covid-19”.

Muitos destes idosos não têm acesso privilegiado à informação, daí que o major Marco Pina sublinhe a importância de as patrulhas levarem “a informação a estas pessoas”.

“A GNR sempre fez esse apoio” aos idosos, mas a sua realização, dadas as circunstâncias, justifica-se “ainda mais agora”, concluiu o responsável.

Em 2019, na operação “Censos Sénior”, a GNR sinalizou nos 14 concelhos do distrito da Guarda um total de 4.183 idosos que viviam sozinhos e/ou isolados, ou em situação de vulnerabilidade, em razão da sua condição física, psicológica ou outra que possa colocar a sua segurança em causa.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 180 mil pessoas, das quais mais de 7.000 morreram.

O surto começou na China, em dezembro de 2019, e espalhou-se por mais de 145 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje número de casos confirmados de infeção para 448, mais 117 do que na segunda-feira, dia em que se registou a primeira morte no país.



Conteúdo Recomendado