CDS-PP da Guarda defende construção de “Estrada Verde” na ligação à Serra da Estrela

A construção da “Estrada Verde” de ligação à Serra da Estrela e a duplicação do acesso à Plataforma Logística são obras que o CDS-PP da Guarda propõe ao Governo para enquadramento no conceito “Last Mile”, foi hoje anunciado.

Segundo Henrique Monteiro, presidente da Comissão Política Concelhia do CDS-PP da Guarda, as propostas rodoviárias constam de uma relação elaborada pelo partido a propósito das Infraestruturas de Elevado valor Acrescentado enquadradas no conceito “Last-Mile” (troços com uma média de dez quilómetros). O CDS-PP/Guarda dá prioridade ao projeto da denominada “Estrada Verde”, que faria a ligação do município com o maciço central da Serra da Estrela. Trata-se de uma obra “há muitos anos definida como prioritária, em termos de interesse económico, mas nunca concretizada”, apontou o dirigente. A duplicação da ligação entre a autoestrada A23 (Guarda/Torres Novas) e a Plataforma Logística de Iniciativa Empresarial da Guarda é, também, considerada “necessária e importante”. Henrique Monteiro propõe, ainda, a abertura da ligação rodoviária entre Catraia da Alegria e o alto do Alvendre, para ligação à autoestrada A25 (Aveiro/Vilar Formoso), que iria favorecer “a mobilidade de pessoas e bens”. A conclusão da requalificação das estradas nacionais 233 (Guarda – Sabugal) e 16 (Guarda – Vilar Formoso), são outras sugestões da concelhia do CDS-PP. Apesar de a Comissão Europeia ter garantido que não haverá verbas no próximo Quadro Comunitário de Apoio para obras incluídas no conceito “Last Mile”, Henrique Monteiro disse ter alguma esperança que obras nacionais sejam incluídas naquele plano ao lembrar que o Governo pretende destinar “200 milhões de euros a este programa”. A possibilidade de financiamento para a construção de estradas foi na semana passada posta de lado pela porta-voz da Comissão Europeia para a Política Regional. Shirin Wheeler garantiu que não haverá verbas no próximo Quadro Comunitário de Apoio para obras incluídas no conceito “Last Mile”, destinado ao fecho de infraestruturas viárias apoiadas pelo atual QREN. As verbas abrangidas nesse programa serviriam para terminar troços de estrada considerados fundamentais a nível local e esse enquadramento vinha sendo defendido pelo Governo português no Acordo de Parceria para a Estratégia 2020. O secretário de Estado do Desenvolvimento Regional afirmou que o Governo vai tentar convencer a Comissão Europeia a aceitar a dotação de 200 milhões de euros para garantir a construção de pequenos troços rodoviários. “Vamos tentar convencer a Comissão Europeia da bondade da nossa proposta, de que a nossa proposta faz sentido, porque se trata de ligações muito pequenas para favorecer a competitividade das nossas empresas”, afirmou Manuel Castro Almeida.

 




Conteúdo Recomendado