Candidaturas aos apoios para trabalhar no interior já arrancaram

As candidaturas terão de ser submetidas “nos 90 dias seguintes à celebração de contrato de trabalho ou da criação do próprio emprego ou empresa”.

Já arrancaram as candidaturas para a medida Emprego Interior MAIS, que dá apoios financeiros diretos para os trabalhadores que se mudem para o interior. O apoio inicial pode chegar aos 4.827 euros, tendo em conta majorações pelos membros do agregado familiar e comparticipação do custo de transportes de bens.

As candidaturas “abriram às 9h00 desta quinta-feira na página do IEFP, que irá operacionalizar este incentivo”, adianta o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em comunicado. As candidaturas terão de ser submetidas “nos 90 dias seguintes à celebração de contrato de trabalho ou da criação do próprio emprego ou empresa”, explica.

Esta medida, que tem financiamento assegurado por fundos europeus através dos Programas Operacionais Regionais, abrange os trabalhadores desempregados ou empregados à procura de novo emprego, sendo que os beneficiários “terão de ter um contrato a tempo completo (com duração mínima superior a um ano) “, estando também abrangida a criação do próprio emprego.

Quem se mudar para o interior recebe um apoio financeiro direto de 2.633 euros, a que acresce uma majoração de 20% por cada elemento do agregado familiar, no máximo de 1.316 euros. Para além disso, é também comparticipado o custo de transportes de bens, até ao limite de 878 euros.

Este não é o único apoio para o interior, sendo que o Governo já criou até um Guia Fiscal do Interior, com todas as informações. Outra das medidas neste âmbito é uma “majoração de 25% nos apoios no âmbito do Programa Regressar para quem se fixe nos territórios do interior para trabalhar”, sinaliza o ministério liderado por Ana Mendes Godinho.



Conteúdo Recomendado