Câmara do Sabugal apoia agricultores na alimentação de animais

A Câmara Municipal do Sabugal anunciou hoje que está a apoiar os proprietários de 2.500 animais que ficaram sem alimento devido a um incêndio registado em agosto e que destruiu cinco mil hectares de área.

O presidente da autarquia, António Robalo, disse hoje à agência Lusa que os serviços municipais fizeram o levantamento dos prejuízos causados pelas chamas e concluíram que “os danos maiores tiveram a ver com as pastagens para cerca de 500 bovinos e 2.000 caprinos e ovinos”.

“Devido à ausência de pastos para pastagens, nós [Câmara Municipal] fizemos uma adjudicação no valor de cerca de 15 mil euros para aquisição de forragens que estão a ser distribuídas aos proprietários destes animais, como apoio direto da câmara, através da Acrisabugal – Associação de Criadores de Ruminantes do Concelho do Sabugal”, indicou.

O apoio aos vários criadores de gado afetados “começou na semana passada e ainda está a decorrer”.

O incêndio também destruiu alfaias e apetrechos agrícolas, mas segundo o autarca do Sabugal os danos “não são de valor significativo”.

António Robalo adiantou que o município, em colaboração com as Juntas de Freguesia afetadas pelo fogo que lavrou nos dias 22 e 23 de agosto, também detetou problemas na rede viária e nas linhas de água que necessitam de intervenção.

“Esse trabalho vai ser apresentado ao Ministério da Agricultura no sentido de [a autarquia] solicitar apoios ou possibilidades para o município e as juntas poderem candidatar-se, no âmbito do PDR [Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020] a medidas de reparação e conservação desses caminhos agrícolas da zona do incêndio e a medidas de desobstrução das linhas de água”, disse.

A preocupação, neste momento, “para além das pastagens para os animais, está relacionada com a prevenção de danos que possam ocorrer nas linhas de água e na rede de caminhos, aquando das primeiras chuvas”, acrescentou.

“Nesse sentido, precavendo essas situações e também em resultado da intervenção do incêndio, queremos ter a possibilidade de fazer a renovação da rede viária na área ardida”, referiu António Robalo.

Segundo o autarca, estão em causa cerca de 100 quilómetros de caminhos e o investimento previsto oscilará “entre 200 a 250 mil euros”.

O incêndio atingiu áreas das aldeias de Sortelha, Águas Belas, Quarta-Feira, Espinhal, Sobreira, Lomba, Vila do Touro e Baraçal.

As chamas estiveram perto das casas mas não atingiram habitações, tendo destruído mato e floresta, áreas de cultivo, pastagens para os animais e alguns anexos agrícolas.

O fogo foi ainda responsável pela morte de um homem com cerca de 70 anos, na aldeia de Sobreira.




Conteúdo Recomendado